A obra do artista Macaparana

0

ARTE CONTEMPORÂNEA.

Desfrute e aprecie sem moderação.

 

A Sociedade da Mesa e a Benveniste Contemporary consolidam este projeto inédito no Brasil.

Continuamos oferecendo a você, nosso associado, obras exclusivas em edições limitadas de até 100 exemplares de artistas contemporâneos do mundo todo, selecionadas pelo curador Dan Albert Benveniste.

 

Retrato Macaparana Foto 022Quarta obra do projeto Arte Contemporânea: MACAPARANA

Macaparana. Fotografia: Sergio Guerini, 2009.

 

O artista

Macaparana leva este nome por causa da cidade de Pernambuco, Brasil, onde nasceu, em 1952, como José Souza Oliveira Filho. Pintor e escultor autodidata, realizou sua primeira exposição individual em Recife, em 1970. Desde 1973 vive e trabalha em São Paulo.

Expôs nas principais galerias de arte do Brasil, México, Japão, Nova Iorque e Londres. Além disso, suas obras fazem parte do acervo de vários museus e coleções particulares. No Brasil, atualmente é representado pela Dan Galeria de São Paulo – galeria de prestígio internacional.

Participou da 21a Bienal Internacional de São Paulo em 1991, assim como em diversas feiras de arte contemporânea, como ArtBasel Hong Kong (com Galeria Jorge Mara-La Ruche, 2013, Hong Kong), SP Arte (com Dan Galeria, 2007-2011, São Paulo), ArteBA (com Galeria Jorge Mara-La Ruche, 2008-2011, Buenos Aires), Pinta Art Fair (com Dan Galeria, 2009, Nova Iorque), Art Basel (com Galerie Denise René, 2010-2013, e com Mara-La Ruche, 2011, Basel), Fiac (também com Denise René, 2010-2011, Paris) ARCO (com o stand da Dan Galeria, 2004-2011, Madri) e ArtBo (com a Galeria Cayón, 2011, Bogotá). Sua obra é parte de coleções tão importantes como a da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Brasil, entre outras coleções internacionais.

(texto cedido pela Galeria Jorge Mara-La Ruche, Buenos Aires, Argentina).

Retrato Macaparana Foto 011Mais informações sobre o artista em www.sociedadedamesa.com.br/arte, onde pode ser encontrado o currículo detalhado do artista. Também pode-se conhecer melhor o artista, consultando sua página pessoal http://www.macaparana.net e as galerias que o representam com exclusividade pelo mundo:

 

FRANÇA: Galerie Denise René

Rive Gauche, 196, Bd. Saint-Germain, Paris 7 – França

www.deniserene.com

ESPANHA: Galeria Cayón

Orfila, 10, 28010, Madrid – Espanha

www.galeriacayon.com

BRASIL: Dan Galeria

Rua Estados Unidos, 1.638, São Paulo – SP – Brasil – CEP 01427-002

www.dangaleria.com.br

ARGENTINA: Galería Jorge Mara La Ruche

Paraná, 1.133, Buenos Aires – Argentina

www.jorgemaralaruche.com.ar

E.U.A.: Arevalo  Gallery

151 NE, 40th St Suite, 200

Cartier Building The Design District Miami FL 33137 – USA

www.arevalogallery.com

 

A obraMacaparana_Obra ALTA1

A sofisticação visual da obra de Macaparana parece enfrentar o fato de que este artista brasileiro é autodidata. O artista nasceu em uma família onde a oficina de costura de seu pai foi o seu centro de entretenimento. As regras, os moldes, os gizes coloridos, agulhas e linhas foram os elementos que o guiaram na construção de seu mundo e contribuíram para moldar seu olhar. “Todo o meu trabalho é uma consequência, uma lembrança da minha infância, do contato com todo este universo.”

Sua obra mostra-nos que o artista está interessado na música. “A música é muito cativante para mim, não poderia trabalhar sem ela”. Todo seu trabalho é uma busca para estabelecer vínculos profundos com a música. Seu trabalho tem uma conexão refinada e íntima com a geometria que está ligada à matemática, à harmonia das formas e ao equilíbrio. Uma importante relação musical para o artista, porque guarda uma forte correspondência com a música. “A geometria, as cores, a forma, tudo é música. Entrar nesse universo é uma sensação muito viva. É muito importante para nós o contato com a geometria indígena e com a geometria popular. A geometria é algo muito forte, é parte de tua vida”.

Macaparana transita entre arte concreta e construtiva e, como o próprio comenta, “O artista que mais me incentivou à mudança da figuração pela geometria foi Torres Garcia. O contato com a sua obra foi determinante.”

Um contato que mostra claramente a influência duradoura daquele grande mestre e o seu lugar nesta tradição da qual faz parte, a que reinterpreta e transforma. Mais tarde, a relação com Willys de Castro e Hércules Barsotti, em São Paulo, marcam a passagem definitiva para a abstração.

(Texto de Patricia Avena Navarro para a Galería Denise René, de Paris, França, 2013).

 

Ficha técnica:

Macaparana (Pernambuco, Brasil, 1952)

Obra da série “Composições Livres”, 2013

Fotogravura, relevo e chine collé de papel Okawara de 64 g

2 placas de fotopolímero de 78 x 47 cm

Papel Somerset 410 g  de 96,5 x 62,5 cm

Assinado e enumerado na parte inferior

Editado e impresso por Benveniste Contemporary, Madri

Preço único: R$ 1.700 (550 €)

 

Forma de pagamento:

Pagamento à vista ou em até 3X no cartão de crédito.

 

Pedidos:

Pedidos devem ser feitos até 10 de maio de 2014, pelo e-mail arte@sociedadedamesa.com.br ou 0800 774 0303

 

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

2012 – Arevalo Gallery, Miami, E.U.A.: primeira exposição individual nos Estados Unidos, onde apresentei uma série de obras realizadas no final de 2011 e durante 2012, usando placas recortadas de “hardboard”, a partir de projetos preconcebidos, onde havia vários recortes, tanto nas bordas como nas próprias placas, com introdução de cores e aplicação de elementos geométricos. Também apresentei uma série de obras usando cartões e papéis (várias gramaturas) como suporte, e algumas esculturas (aço inox) realizadas entre 2002 e 2012.

2011 – Galerie Denise René, Paris, França: primeira individual em Paris, com apresentação de obras em cartão, papel e também uma série de obras feitas em madeira, com variações de formas a partir do quadrado, retângulo e círculo, com uso de cores. Esculturas em aço inox realizadas especialmente para essa exposição.

2010 – Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil: exposição de obras em papel e esculturas em madeira e aço pintados. Apresentação do livro Formas Cortadas, projetado por Delmar Mavignier.

– Galeria Jorge Mara, La Ruche, Buenos Aires, Argentina: nesta exposição, foi apresentada uma série de obras dos anos 1990, junto com obras de 2009/2010, relevos em madeira pintada e uma série intitulada Cadernos de Música. Foi realizado um cuidadoso catálogo, editado por Jorge Mara.

2009 – Galeria Cayon, Madri, Espanha: primeira exposição em Madri, com obras dos anos 1990 a 2009. Papéis, esculturas e objetos.

2007 – Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil: apresentação de esculturas e obras em papel e cartão.

2004 – Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil: esculturas e pinturas. Apresentei minhas primeiras esculturas (aço pintado) junto com uma série de obras em papel, as quais tinham uma relação direta com as esculturas.

2004 – Galeria Arte em Dobro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil: desenhos e objetos. Exposição com uma pequena série de objetos (caixas), utilizando o acrílico como suporte em vários formatos, além de algumas pinturas (acrílica e pigmentos sobre tela).

2000 – Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil: exposição de uma série de obras utilizando plástico, papel, cartão e acrílico, com edição de um catálogo projetado por mim.

1994 – Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: exposição com obras de vários períodos (entre 1987 a 1994). Uma série de obras realizadas sobre tela, coladas em estruturas de madeira com recortes e pintadas com pigmentos, acrílica e esculturas, além de relevos realizados em madeira e aço pintado.

1991 – MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: apresentação de uma série de obras verticais utilizando madeira reciclada de demolições e estruturas geométricas feitas em telas coladas sobre madeira e pintadas.

1989 – Sala Mira Schendel, São Paulo, SP, Brasil: uma série de obras utilizando as variações de branco (pigmentos, resinas e acrílica) cinza e preto com algumas interferências de cor.

1988 – Mônica Filgueiras de Almeida Galeria de Arte, São Paulo, SP, Brasil: exposição realizada em homenagem a Willys de Castro (ano do seu falecimento). Sempre que falava com Willys ao telefone, comentava que havia uma influência muito forte sobre as obras que estava realizando e que faria uma homenagem a ele. Infelizmente, ele faleceu pouco tempo depois e nao chegou a vê-la.

 

1987 – Galeria Bonino, Rio de Janeiro, RJ, Brasil: exposição de esculturas e relevos feitos com madeiras recicladas (demolições e achadas ) sempre explorando a verticalidade nas formas e com poucas interferências de cor, dando prioridade à questão da forma da matéria (madeira). Catálogo com texto do crítico Theon Spanudis.

– Sesc Pompéia, São Paulo, SP, Brasil. (NÃO ESTÁ FALTANDO ALGUMA COISA AQUI?)

 

1986 – Mônica Filgueiras de Almeida Galeria de Arte, São Paulo, SP, Brasil: primeira mostra com esculturas feitas em madeira (demolições e achados). Fiz essa série de obras com apoio e motivação de Willys de Castro, que fez questão de montar essa exposição, a qual teve um catálogo desenhado por mim, com texto do colecionador Ladi Biezus.

 

1985 – Museu de Arte Brasileira, FAAP, São Paulo, SP, Brasil: apresentação de pinturas e esculturas de madeira.

– Galeria Bonino, Rio de Janeiro, RJ, Brasil: uma série de pinturas ainda na fase figurativa, onde explorava muito uma temática com ex-votos, símbolos e toscas formas geométricas, com forte representação de uma geometria intuitiva, primitiva, muito comum no interior brasileiro em festas religiosas e populares. Nessa época, estava fascinado pela beleza da obra de Torres Garcia, que me tocava muito com sua simbologia tão universal e familiar.

 

1983 – Galeria Bonino, Rio de Janeiro, RJ, Brasil; e Mônica Filgueiras de Almeida Galeria de Arte, São Paulo, Brasil: série de pequenos desenhos (guache e pastel seco sobre papel fabriano) com uma temática de mistura de formas geométricas e elementos figurativos.

 

1980 – Galeria Seta, São Paulo, SP, Brasil: exposição na galeria do meu querido amigo, o artista concreto Antonio Maluf. A exposição era formada por uma série de guaches sobre papel, que tinha como tema a Pedra do Bico (uma região com grandes formações rochosas entre Pernambuco e Paraíba, próxima à cidede de Macaparana. É um lugar místico, com pinturas rupestres e muitas lendas. Fiz uma série de fotografias e, quando cheguei a São Paulo, comecei a trabalhar a partir das fotos. Mostrei ao Maluf, que me convidou para fazer a exposição.

 

1979 – Centro Campestre do Sesc, São Paulo, SP, Brasil: exposição com curadoria de Pietro Maria Bardi, onde foi apresentada uma série de pinturas de sua coleção privada.

– MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: exposição organizada por Antonio Maluf e Pietro Maria Bardi, com pinturas e desenhos. Texto de apresentação de Pietro Maria Bardi.

 

1975 – Galeria Portal, São Paulo, SP, Brasil: recém-chegado a São Paulo, foi minha primeira mostra nessa cidade. Uma série de pinturas figurativas, com uma temática surrealista.

 

1974 – Galeria Recife, Recife, PE, Brasil: exposição de desenhos (guache sobre papel).

 

1972 – Galeria Velha Mansão, Rio de Janeiro, RJ, Brasil: primeira exposição no Rio. Uma série de pinturas e desenhos ainda realizados na cidade de Macaparana (onde vivia antes de mudar para o Rio de Janeiro, em 1972).

 

1970 – Galeria de Empetur, Recife, PE, Brasil: exposição de desenhos (guaches, nanquim sobre papel). Toda a obra foi realizada em Macaparana, no atelier que montei nos fundos da loja e alfaiataria do meu pai.

 

 

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

 

2013 – Espace Expression, Miami, E.U.A.: Homege to DENISE RENÉ.

– Galerie Denise René, Paris, França: Les Sud – Américains à Paris.

 

2012 – MASP – Museu de Arte de São Paulo, SP, Brasil: Obsessao da Forma.

– Galerie Denise René, Paris, França: Accrochage de Groupe.

– Arevalo Gallery, Miami, E.U.A.: Grupo Zero and Latin American Art.

 

2011 – Arevalo Gallery, Miami, E.U.A.

– Galeria Denise René, Paris, França: Accrochage de Groupe.

 

2010 – Galeria Cayón, Madri, Espanha: Espacio Otro/Goya.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina: Collage.

 

2009 – Galeria Cayon, Madri, Espanha: Materia Gris.

– Galeria A34, Barcelona, Espanha: Dibujos y Esculturas.

– Galeria Laruche, Arteba, Buenos Aires, Argentina. (AQUI TAMBÉM SENTI QUE FALTA ALGO)

 

2006 – Acervo do MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil:  Contrastes.

– Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo, SP, Brasil: O Olhar do Colecionador, acervo da Fundação Nemirovsky.

 

2005 – MAM, Museu de Arte Moderna de São Paulo – São Paulo, SP, Brasil: Antologia do Acervo.

– Museu Oscar Niemeyer – Curitiba, PR, Brasil: Arte em Metrópolis

– Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, SP, Brasil: Metrópolis.

 

2004 – Museu Afrobrasil, São Paulo, SP, Brasil: Brasileiro, Brasileiros.

– MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: acervo.

– MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Aspectos de Abstracionismo.

 

2003 – MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: Brasil Anos 1920 a 1990.

– Espaço Virgílio, São Paulo, SP, Brasil: Artistas Brasileiros.

 

2002 – MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Arte Brasileira Anos 1960 a 1990.

 

2001 – Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo, SP, Brasil: Escultores no Parque da Luz.

 

2000 – Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo, SP, Brasil: Doações Recentes

– MAM, Museu de Arte Moderna de São Paulo – São Paulo, SP, Brasil: Doações Recentes.

 

1999 – Biblioteca Nacional – Santiago, Chile: Identidad y Globalización – Artistas del Mercosur.

1998 – II Exposição Virtual – Painéis Eletrônicos, Eletromídia, São Paulo, SP, Brasil.

– MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: Anos 1980 e 1990.

– MAM, Museu de Arte Moderna, São Paulo, SP, Brasil: Doações Recentes

 

1997 – MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: Dimensões de Arte Contemporânea.

– Estação Pinacotecado Estado de São Paulo, SP, Brasil: Acervo Permanente

– Fundação das Artes Kingman, Quito, Equador: Arte Brasileira Contemporânea.

– Espacio Simón Patiño, La Paz, Bolívia: Arte Brasileira Contemporânea.

– Contemporâneos na Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

 

1996 – MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: Tendências Construtivistas no acervo.

– Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, RJ, Brasil: Tendências Construtivistas.

 

1995 – Construtivistas no Acervo do MAC – Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil.

 

1994 – Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo, SP, Brasil: Doações Recentes.

– MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Contemporâneos no acervo – Décadas de 1980/1990.

– MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Geométricas – Acervo.

 

1992 – MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Arte Contemporânea Brasileira.

– MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: Arte Brasileira Anos 1970/1990.

 

1988 – MAC, Museu de Arte Contemporânea USP, São Paulo, SP, Brasil: MAC 25 Anos.

 

1987 – Museu de Arte de Brasília – Brasília, DF, Brasil: Paulistas em Brasília.

 

1986 – MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Caminhos da Arte Brasileira.

 

1985 – MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: Artistas Brasileiros.

 

1977 – MASP, Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil: (FALTA ALGO?)

 

1973 – Hotel Glória, Rio de Janeiro, RJ, Brasil: Artistas Pernambucanos.

– Williams and Sons, Londres, Inglaterra.

– Galeria Aliança Francesa, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

– Sesc, São Paulo, SP, Brasil: Arte no Centro Campestre.

– Galeria de Empetur, Recife, PE, Brasil.

– Galeria Nono Andar, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

– Galeria Soarte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

– Galeria Grupo B, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

– Galeria no Sobrado, São Paulo, SP, Brasil.

– Portal Gallery, Londres, Inglaterra.

 

BIENAIS, FEIRAS E SALÕES

2013 – ArtBasel – Basiléia – Galerie Denise René.

– ArtBasel – Hong Kong, China.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina.

– SPARTE – São Paulo, SP, Brasil.

 

2012 – ARCO, Madri, Espanha.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina.

— Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil.

– Galeria Cayón, Madri, Espanha.

 

2011 – ARCO International Art Fair, Madri, Espanha.

– Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina.

– Galeria Cayón, Madri, Espanha.

– SPARTE – São Paulo, SP, Brasil.

– Dan Galeria, São Paulo, SP, Brasil: International Art Fair.

– ARTEBA – International Art Fair.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina.

– ARTBASEL – Intenational Art Fair.

– Galerie Denise René, Paris, França: Basel.

– Galerie Denise René, Paris, França: FIAC International Art Fair.

– ARTEBO – International ArtFair, Bogotá, Colômbia.

– Galeria Cayón – Madri, Espanha.

– ARTBASEL – International Art Fair, Miami, E.U.A.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina.

 

2009 – SPARTE – International ArtFair – São Paulo, SP, Brasil.

– Galeria Jorge Mara La Ruche, Buenos Aires, Argentina.

– PINTA – International ArtFair – Nova Iorque, E.U.A.

– Dan Galeria – São Paulo, SP, Brasil.

 

2008 – ARCO – International ArtFair – Madri, Espanha.

– Dan Galeria – São Paulo, SP, Brasil.

 

2007 – ARCO – International ArtFair – Madri, Espanha.

 

2006 – ARCO – International ArtFair – Madri, Espanha.

 

2005 – ARCO – International ArtFair – Madri, Espanha.

 

1991 – XXI Bienal Internacional de São Paulo – São Paulo, SP, Brasil.

 

1986 – IV Salão Paulista de Arte Contemporânea – Esculturas da Bienal no Metrô – São Paulo, SP, Brasil.

 

1985 – V Salão Brasileiro de Arte – Fundação Mokiti Okada – São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ), Brasil; e Tóquio, Japão.

 

1984 – XXI Bienal Iberoamericana de Arte – Artista Convidado – México.

 

1971 – IX Pré-Bienal de São Paulo, Recife, PE, Brasil.

Deixe um comentário