Conheça a obra do artista Jaroslaw Flicinski

0

Arte contemporânea. Descubra e aprecie.

Continuamos oferecendo a você, nosso associado, obras exclusivas em edições limitadas de até 100 exemplares, de artistas contemporâneos do mundo todo, selecionados pelo curador Dan Albert Benveniste.

O melhor da arte contemporânea com exclusividade para nossos associados.

A Sociedade da Mesa está para o vinho assim como a Benveniste está para a Arte: somos grandes Selecionadores.

Retrato FlicinskiJAROSLAW FLICINSKI (Gdansk, Polônia,1963) vive e trabalha entre Varsóvia (Polônia) e Esteval (Portugal). Flicinski é um artista com uma sólida formação no campo das artes plásticas e da arquitetura, o que é traduzido numa produção que combina a poética da cor com sua capacidade de construir e modificar espaços.

Em tais espaços, o espectador desenvolve uma certa percepção que, em algumas ocasiões, libera as sensações produzidas pelas ilusões ópticas, criando uma nova relação entre o indivíduo, a evocação da cor e a situação física na qual se encontra. Recuperando uma parte da conversa entre Jaroslaw Flicisnki e Mark Kremer, realizada no contexto “Conversations, DISCONNECTED THINKING IN CONTEMPORARY ART”, sob organização da Lonelyfingers (no Museum Abteiberg de Mönchengladbach, Alemanha, em 2013), destacamos o comentário de Mark Kremer e a resposta de Flicinski para entendermos um pouco melhor o artista:

Mark Kremer: Há, naturalmente, uma grande qualidade na sua pintura. As cores e os padrões criam efeitos vibrantes. Mas também existe um fundo emocional na própria linguagem abstrata. É interessante ouvir o que comenta sobre o artista Vasarely: “ em suas cores, encontrou um equilíbrio entre a inocência, o sexo e a frieza futurista. As cores parecem brincar entre a expectativa e o desejo, mas também é algo mais –um sentimento de decepção?” Você poderia falar sobre a cor e a emoção?

Jaroslaw Flisinski: Eu tento ser muito frio com as emoções quando escolho, ou melhor, decido as cores. Quero manter uma certa distância. Por outro lado, descobri que posso usar os vermelhos espontaneamente afiados, o que contrasta com os pretos, os marrons e laranjas, acrescentando alguns verdes que poderiam ser vistos como resultado de emoções bem dinâmicas. Começou a ser mais claro, quando comecei a usar uma técnica de pintura de alta qualidade no lugar de processos mais artísticos, baseados em cores mais estáveis, e também quando mudei da tela para superfícies mais duras como paredes, MDF ou painéis de alumínio. 

Escolho as cores com o sistema NCS, o que significa que tenho uma grande gama de cores impressas, com seus números em um papel. Então, eu consigo, mais ou menos, imaginar a luz que reflete em um desenho de cores na parede. Sempre penso na luz que estará na sala de exposições, depois da obra pronta na parede, e como a pintura reflete e se mistura com a luz original. Quando começo, escolho uma peça chave, uma cor predominante e logo construo uma vida interior na pintura.

Naturalmente, as cores têm um forte efeito sobre os seres humanos. Em meados do século 20 tivemos uma série de experiências surpreendentes e bem executadas por desenhistas/artistas, mais ou menos conhecidos, nos espaços públicos. Gosto de encontrar esses lugares. Não quero idealizar, mas é bom projetar a imaginação sobre todos aqueles espaços que não existem como tais, sem a intervenção da cor. Tenho a sensação de que essas cores prometiam um futuro melhor que, infelizmente, nunca aconteceu, mas ainda nos oferecem esperança.

Flicinski_vista Guimaraes

Vista de “Black Star / Estrela Negra”, exposição individual de Jaroslaw Flicisnki, no centro José de Guimarães International Arts Centre (CIAJG), de Guimarães, Portugal (2014). Fotografia: Vasco Celio.

Jaroslaw Flicinski_vista Benveniste

Vista da pintura mural Yes, indeed na Galería Benveniste Contemporary, 2012 Esmalte acrílico sobre parede, 420 x 300 cm. Fotografia: Enrique Valdepeñas

 

 

 

 

 

 

 

Mais informações sobre o artista em www.sociedadedamesa.com.br/arte, onde encontrará o currículo detalhado do artista. Pode, ainda, conhecê-lo melhor consultando:
– A página pessoal de Jaroslaw Flicinski :
www.flicinski.net y http://www.lonelyfingers.com/
– As páginas das galerias que trabalham com este artista:
Galerie De Expeditie, (Amsterdã, Holanda) www.de-expeditie.com
Benveniste Contemporary (Madri, Espanha) www.benveniste.com

A obra 

Random evenings, precious objects, 2014 é uma obra que brinca com a vibração da cor e da
forma, que consegue condicionar o espaço no qual está exposta, tornando-o dinâmico e vibrante.
É uma imagem que consegue captar nosso interesse visual, brincar com a nossa atenção.
A conjunção do título “tardes aleatórias, objetos precioso” com a luminosidade da cor e o
magnético da forma desenhada se faz intrigante e sugestiva, contribuindo para observar esta
obra especialmente estimulante.

Flicinski_Obra Sociedade da Mesa

Ficha técnica:
Jaroslaw Flicinski (Polônia, 1963).
Random evenings, precious objects, 2014.
Fotogravura
1 prancha fotopolímero de 70 x 100 cm.
Papel Somerset 410 gr., de 70 x 100 cm.
Assinada e enumerada na parte inferior.
Editada e impressa pela Benveniste Contemporary, Madri.
Preço único de: R$1.850 (600 €)
Forma de pagamento
Pagamento à vista ou em até 3 vezes no cartão de crédito
Pedidos
Pedidos devem ser feitos pelo e-mail arte@ sociedadedamesa.com.br ou 0800-774-0303

 

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe um comentário