Drinks: Old Fashioned

IMG_8252

O melhor Old Fashioned da América

Um dos favoritos da mixologia americana retorna com a mesma verve de modernidade retrô que coquetéis como o Gin Tônica e os Spritz apresentaram na Europa nesta década.

Pode até soar semanticamente contraditório, mas é novamente tempo de beber o “velho” Old Fashioned. Moda nos bares badalados, sucesso nos hotéis, o estiloso coquetel ganha adeptos entre jovens ávidos por estilo e sabor easy going que o cítrico versus bitter traz como o “hint” of the moment. Aliás, o tal do toque (‘’hint’’, in english) de bitter de laranja e o sabor das cerejas negras em sutil fusão consagra o fator de tamanha popularidade em pleno 2014 e daí adiante. Não é só isso, mas a imensa variedade de ryes (uísques de centeio) que se oferece nos balcões da América cosmopolita ilustram o fenômeno. “Incrível como esse tipo de uísque foi redescoberto. Melhor ainda sua utilização, sendo que em primeira grandeza, na excelência em sabor, aparece o “Old Fashioned’”, afirma um jovem barman do restaurante Osetra, no bairro boêmio Gaslamp Quarter, em San Diego, Califórnia.

Criado em Louisville, no estado de Kentucky, em um antigo bar exclusivo para cavalheiros da época (1881) chamado de The Pendennis Club, o coquetel à moda antiquada agradava a muitos que desejavam começar suavemente o dia. Entretanto, o responsável pela sua disseminação foi o frequentador Coronel James E. Pepper, que mais tarde levou a receita para o hotel Waldorf-Astoria, de Nova Iorque. A receita centenária do Pendennis levava açúcar, angostura bitter, bourbon whiskey, algumas pedras de gelo e um twist de laranja. Alguns asseveram que esta seria a primeira bebida da América a ser chamada de coquetel.

sociedade-da-mesa

Apesar de seus mais de 100 anos de criação e devido ao nome homenagear o velho estilo de consumo de Bourbon, a bebida tem voltado a seu esplendor. Hoje, alguns modificaram sua receita adicionando um lance de club soda para ajudar na mistura do açúcar com a angostura bitter e substituindo o Bourbon pelo Rye Whiskey. Muitos puristas discordam dessas mudanças, pois o ingrediente não está em sua receita original.

Mas é notável como o sabor do rye envolve quando servido com o gelo moído – o crushed ice, como dizem os bartenders americanos. Um dos melhores profissionais da América, Steve J., atualmente faz seu Old Fashioned com perfeição no balcão do Ram`s Bar, no histórico hotel Timberline Lodge, Mount Hood, Oregon.

IMG_9162O suntuoso alojamento de inverno foi inaugurado em 1937 como um destino inovador para os amantes dos esportes de inverno, sobretudo o esqui. A curiosidade fica por conta do fato que tal hotel serviu de locação para o aterrorizante filme “O iluminado” (The Shining), de Stanley Kubrick, em 1980. Estrelado por Jack Nicholson e baseado no livro homônimo de Stephen King, o resort montanhês oferece um bar com uma excelente gama de single malts escoceses, bourbons e ryes. O predileto foi o coquetel elaborado com Templeton Small Batch.

O coquetel é perfeito, rico, refrescante. E, ao mesmo tempo, aveludado. As cerejas negras da montanha são maceradas juntamente com o bitter de laranja. Angostura e xarope de goma. O rye é depositado acima da boa camada de gelo moído. Fazendo com que o próprio cliente possa mexê-lo com um stir. Um lance de club soda finaliza aquele que reputo como o melhor Old Fashioned da América.

Segundo a IBA, o clássico OLD FASHIONED é elaborado com 1 dose (ou 2 onzas) de bourbon whiskey ou rye; uma colher de bar de açúcar; 2 ou 3 lances de angostura bitter (ou orange bitter); uma cereja negra com cabo; gelo em pequenos cubos ou moído; um lance de club soda; meia fatia de laranja e um mexedor (stir). Deve ser preparado no copo homônimo que consagrou historicamente o coquetel. Acrescentando-se o açúcar com angostura ou bitter de laranja; diluindo-se esses ingredientes em um lance de club soda. Depois, preencha com 3/4 de gelo o volume do copo. Em seguida, reserve as frutas, completando com a dose de rye ou bourbon.

Vale ressaltar a dica do Mestre Steve J. Pode-se macerar uma cereja negra para trazer um toque diferenciado. As frutas devem aparecer como decoração final; complementando-se o vazio do copo com um pouco mais de gelo.

A toast!

Texto: Rick Anson
Fotos: Rick Anson

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe uma resposta