Lidio Carraro Tannat 2011

7

lidio-tannat-2011-dez%ef%80%a215Um espetacular vinho tinto, fundo, com um aroma elegante, onde se distinguem especiarias, geleia e frutas vermelhas, torrefação, sensações elegantes na boca, um corpo bem estruturado e uma sensação persistente ao final.

País: Brasil

Região: Terras da Encruzilhada do Sul  | Rio Grande do Sul

Indicação Geográfica: D.O. Vale dos Vinhedos

Uvas: 100% Tannat

Produtor: Lidio Carraro

O vinho

Uma particularidade deste vinho é a longa maturação das suas uvas. O Tannat permanece na videira até atingir um ligeiro aprazimento natural. Em distintas parcelas dos vinhedos, parte das uvas atinge uma pós-maturação e adquire características que conferem originalidade a este vinho. Decidido o ponto ideal de vindimar, as uvas de cada parcela foram colhidas manualmente e transportadas em caixas plásticas a temperatura controlada, para a sua transformação na vinícola.O desengace foi controlado para manter a integridade das uvas e evitar a extração de compostos indesejáveis.

As uvas desengaçadas foram conduzidas diretamente aos tanques de fermentação por gravidade, sem sofrerem ação mecânica de bombeamento. As fermentações ocorreram em tanques de aço, passando por maceração pré-fermentativa, seguindo o sistema tradicional de vinificação, com uma maceração entre 21 e 25 dias. Para a extração dos compostos da casca, realizaram-se folaturas manuais para otimizar a dissolução destes compostos e não dilacerar o bagaço. Após a fermentação malolática e trasfegas, o vinho permaneceu mais 14 meses nos tanques até o engarrafamento. O vinho não foi filtrado, visando conservar íntegras as suas características.

sociedade-da-mesa

A cata

Vermelho rubi intenso e profundo de grande vivacidade, com lágrimas densas e preguiçosas. Sua riqueza aromática demonstra potência através de notas intensas de ameixas secas, geleia de frutas negras, mirtilo e amoras que, com a evolução na taça, transformam-se em sensações de café, cacau, tabaco e notas balsâmicas. De paladar opulento, possui grande caráter, com taninos firmes transmitindo força e vigor. A sua estrutura envolve plenamente a boca, em grande harmonia com seus constituintes de corpo e acidez, oferecendo sensações que se prolongam.

Harmonização

Combina muito bem com pratos ricos e com sabores marcantes, carne grelhada, carnes vermelhas ao molho de vinho, molhos com pimenta, caça, cordeiro, churrasco e queijo tipo grana. Um ótima experiência é degustá-lo no final do jantar, com petit gateau de chocolate amargo (acima de 70% de cacau). Excelente opção para quem busca uma experiência única e marcante. Confira a nossa sugestão de harmonização, Carré de Cordeiro com crosta de especiarias e pavê de legumes.

Temperatura

Servir entre 16 e 18 graus.

Guarda

Sobre o potencial de guarda do Tannat 2011, poderia dizer indicativamente 30 anos, podendo chegar a mais, se bem conservado. É um vinho concentrado e apresenta todos os atributos para evoluir no tempo. Se bebido jovem (nos primeiros cinco anos após o engarrafamento (2017) será essencialmente frutado e com taninos firmes. Entre 2017 e 2022 começará a apresentar complexidade e notas mais evidentes de alcaçuz, café e tabaco, e depois dos 10 anos, a partir de 2022, atingirá um perfil de maior complexidade, sendo sempre muito vivo e em crescimento na taça.

A vindima 2011 foi excelente e com certeza é um vinho para mais de uma geração testemunhar!

Texto: Alberto Pedrajo

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!

7 Comentários

  1. Pingback: Seleção Grandes Vinhos: Tannat 2011 | Brasil | Revista Sociedade da Mesa – Clube de Vinhos

  2. Pingback: Harmonização: Tannat 2011 – Carré de cordeiro com crosta de especiarias e pavê de legumes | Revista Sociedade da Mesa – Clube de Vinhos

  3. Ademir José de Almeida em

    Gosto muito de vinho e a excelente informação veio enriquecer o meu pouco conhecimento sobre vinho. Gostaria de adquirir este vinho. Como fazer?

  4. Pingback: Harmonização: Tannat 2011 – Petit Gateau | Revista Sociedade da Mesa – Clube de Vinhos

  5. Pingback: Harmonização Tannat 2011: Ganache – Revista Sociedade da Mesa – Clube de Vinhos

Deixe um comentário