Lidio Carraro, a busca pela excelência

0

A Lidio Carraro é uma vinícola de propriedade familiar. Guiada por uma filosofia purista de total respeito à terra e à mão de obra.

No ramo da viticultura há mais de cinco gerações, eles acreditam que os grandes vinhos não são obtidos na vinícola. Mas nos vinhedos que, neste caso, estão localizados em dois excepcionais locais no sul do Brasil. O Vale dos Vinhedos; e a Encruzilhada do Sul.

A família detém mais de 200 hectares. Dos quais cerca de 40 estão em produção e devem ser ampliados ano a ano, até atingir 150 hectares. O conceito de vinícola boutique subentende uma produção controlada e de altíssima qualidade. Esse padrão é mantido pela união da tradição; com a busca constante por conhecimento atualizado. Um esforço compartilhado por todos os membros da empresa.

Lidio Carraro; o patriarca, é descendente dos imigrantes italianos vindos de Breganze, no Vêneto, em 1875. Enquanto muitos colonos estabeleceram-se no Rio Grande do Sul para plantar uvas e produzir vinhos, a família Lidio Carraro optou apenas pelo cultivo, tornando-se extremamente especializada nisso.

Quando assumiu o controle dos negócios da família, Lidio destacou-se como um dos líderes da modernização do cultivo da uva no Rio Grande do Sul, há mais de 40 anos. Ele iniciou uma busca por encontrar e desenvolver os melhores vinhedos, motivado pelo interesse no resgate do que há de mais essencial em um vinho: a expressão do terroir, ou seja, a revelação das qualidades do solo e do clima, aliadas às decisões tomadas pelo homem.

sociedade-da-mesa

Ainda na década de 1990, Juliano Carraro ingressou na faculdade de enologia e sua vontade de elaborar vinhos contagiou a toda a família. Em 1998, após vários estudos, Lidio converte sete hectares no Vale dos Vinhedos para uvas da melhor qualidade, e inicia a criação de sua adega.

Neste mesmo ano, Monica Rossetti, então técnica em Viticultura e Enologia, integrou-se ao projeto da Lidio Carraro como enóloga responsável, e assumindo a missão de agregar conhecimento e traduzir, nos vinhos, o ideal da Lidio Carraro: a busca pela excelência.

Em 2001, ocorreu a fundação da Vinícola Lidio Carraro, e a família adquiriu 200 hectares em Encruzilhada do Sul, na Serra do Sudeste do Rio Grande do Sul. A região mais tarde iria tornar-se um pólo vitícola brasileiro. Os vinhedos no Vale dos Vinhedos iniciaram as primeiras produções em 2002, e a safra deu origem aos primeiros vinhos com a marca Lidio Carraro, que chegaram ao mercado em 2004.

Pouco tempo depois de começar a comercializar seus vinhos, a bodega começou a receber os primeiros elogios e a se converter em um expoente do vinho brasileiro, recebendo contínuos reconhecimentos em todo o mundo.

A filosofia

Das uvas ao vinho, a Lidio Carraro está voltada a expressar a essência e a integridade do vinho, e comprometida a elaborar somente vinhos de primeira linha. Todo o processo da Lidio Carraro é conduzido com a mínima interferência e o máximo respeito à expressão natural da uva e ao terroir de origem.

sociedade-da-mesa

A Lidio Carraro é pioneira no país a implantar uma gestão vitícola e enológica integrada e sustentável, que se inicia com um meticuloso estudo de clones, mapeamento de solos e rigoroso controle de produção, até o recebimento da uva por gravidade e vinificação de grandes vinhos, sem o uso tradicional da madeira. A atenção em cada detalhe do processo de elaboração permite originar vinhos particulares, ricos em complexidade, estrutura e equilíbrio.

DSC_1790

A enóloga

A enóloga gaúcha Mônica Rossetti, jovem e ousada, com apenas 32 anos e 14 de trabalho profissional, comemora o fato que algumas de suas criações Premium e Top Premium já conquistaram muitos títulos internacionais, alcançando posições históricas no disputado mercado brasileiro.

A vivência da enóloga no mundo do Baco não veio somente da sua dedicação à Lidio Carraro, onde é responsável pelo projeto técnico desde a fundação da vinícola.

Ela também atua como consultora em renomadas empresas italianas. Como o grupo Ferrari Spumanti e outras vinícolas das tradicionais regiões da Toscana; Piemonte; Vêneto; Trentino Alto Adige; Friuli e Umbria. Realiza constantes viagens técnicas para aprimorar conhecimentos em países como França, Espanha, Portugal, Argentina e Chile. O trabalho em dois continentes permite à enóloga realizar duas vindimas no ano e somar experiências importantes para executar a função de responsabilidade que assume nas vinícolas onde atua.

A sua filosofia é trabalhar com grande respeito ao ecossistema de cultivo das uvas. E aplicar uma enologia o mais naturalista possível.Como a Enologia não é uma ciência exata; não existe uma única forma de elaborar vinhos. Existem princípios e formas de aperfeiçoar resultados. Mas nenhuma regra fixa, principalmente se consideradas as tantas tipologias de vinho que existem pelo mundo.

Porém, acredito que seja importante destacar que os grandes vinhos nascem em diferentes contextos e de diferentes formas. Mas sempre traduzem a terra; a sua história e as mãos de quem os elabora. Por isso, além de conhecimento e tecnologia; é preciso ter sensibilidade para trabalhar com a natureza e entender o seu potencial. E acima de tudo, ser apaixonado por aquilo que faz.” relata Mônica Rossetti.

Apresentamos Lidio Carraro, a vinícola boutique produtora da nossa Seleção Grandes Vinhos de dezembro 2015, Tannat 2011.

Texto: Alberto Pedrajo

Conheça as vantagens de fazer parte da Sociedade da Mesa, clube de vinhos! Associe-se!

Deixe um comentário