O charme da Toscana

Vinci, cidade com história.

Mais uma vez viajamos à origem de nossa Seleção, a Toscana, para continuar descobrindo os vinhos italianos, bem como aprender mais sobre a região e seus vinhos, onde a estrela entre os varietais é a Sangiovese.

Estamos em plena primavera e uma explosão floral percorre as colinas toscanas, um maravilhoso presente da natureza, que deixa o momento ainda mais especial. Quando forem para a Toscana, lembrem-se desta época que é, ao meu entender, a melhor. A temperatura não é muito alta e a fusão do terreno com os cultivos em pleno esplendor, é um presente para nossos olhos.

Um frio percorre o estômago, quando de repente, após percorrer os 20 quilômetros que separam Florença até o seu destino, você lê uma placa na estrada com o nome do povoado para o qual você se dirige: Vinci. Um pequeno povoado medieval ao norte da Toscana, em pleno coração do Chianti, nada mais nada menos que o povoado que viu nascer, em 1452, Leonardo da Vinci. É emocionante percorrer os caminhos que viram o crescimento de Leonardo. E toda a Toscana respira história. Uma terra de tradições antigas onde primeiro os etruscos, e logo os romanos, deram base para o que mais tarde seria o epicentro do Renascimento.

sociedade-da-mesa

Vamos nos concentrar em Vinci, o belo povoado toscano onde nasceu o grande mestre, que está cheio de recantos que respiram história. Após nossa visita à Cantina L’Arco, fomos visitar o pequeno castelo onde está albergado o Museu de Leonardo da Vinci. No museu estão as maquetes de madeira das máquinas projetadas por Leonardo. Uma sugestiva viagem na imaginação do gênio que se antecipou no tempo com invenções futuristas, por exemplo, tanques armados e o canhão mecânico são  engenhos que saíram da mente de Leonardo.

Junto ao museu, encontra-se a igreja de Santo Stefano, com a alta torre do sino, e  para os mais curiosos, a somente 2 quilômetros está a casa de Leonardo, com reproduções de vários de seus desenhos. Mas após desfrutar de nossa visita a este encantador povoado medieval, uma das frases de Leonardo da Vinci veio a nós com o máximo sentido: “Acredito que são muito felizes os homens que nascem onde estão os bons vinhos.”

A Comida toscana

Em uma viagem para a Itália, além dos museus e igrejas, outra atração é a gastronomia. Meu primeiro conselho é, além de pesquisar as rotas de locais para visitar e fotografar, procurar blogs e guias para descobrir as joias gastronômicas dos locais que se vai visitar. Para conhecer um país, primeiramente devemos desfrutar a comida local.

Falar da gastronomia toscana abre o apetite. Se alguma coisa define sua culinária, são os sabores e a simplicidade com que trabalham a matéria-prima, porque é isso o que importa. Portanto, não busquem sofisticação que também há , mas busquem a cozinha base, o prato simples de pasta, porque é aí que se encontra a essência da região.

Bruschette: pão torrado com alho esfregado e azeite extra virgem, simples não é? Certamente uma delícia!

Panzanella: pato pobre de campesinos da Toscana, cujo protagonista é o pão toscano: pão duro molhado em água, com tomates, cebolas, pepinos e manjericão, além de vinagre, sal, pimenta e azeite de oliva extra virgem.

Minestra di farro: “farro” é um cereal que já utilizavam os etruscos e os romanos, e na Toscana é imprescindível entre os pratos comidos com colher. São muitas as receitas e as possibilidades para este prato um dos mais populares é acompanhado com feijões vermelhos, tomate, presunto, couve, batata, cebola, cenoura, aipo, queijo e pimentão picante.

Pappardelle: uma pasta plana, que geralmente acompanha um molho à base de lebre ou javali.

Bistecca alla fiorentina: para os carnívoros, um dos astros da cozinha florentina é a chuleta da  raça Chianina, autóctone da Toscana, preparada na brasa e mal passada. Ao final, acrescenta-se sal, pimenta e azeite de oliva extra virgem da Toscana.

Panforte Siena:  são muitas as sobremesas, tiramisú, sorvetes, mas uma muito representativa é o panforte. Uma torta de amêndoas, frutas cristalizadas, mel, canela e  cravos de cheiro. Consumida o ano todo, mas principalmente no natal.

Como disse, receitas simples e de primeira qualidade são a base da gastronomia toscana, longe dos molhos densos e contundentes de outras regiões da Itália. E para acompanhar as delicias da Toscana, conheça a nossa Seleção Mensal Príncipe del Sole 2013.

Texto: Alberto Pedrajo

Conheça as vantagens de fazer parte da Sociedade da Mesa, clube de vinhos! Associe-se!

Um comentário em “O charme da Toscana

Deixe uma resposta