O vinho no Brasil cresce e convence

1

A vitivinicultura no Brasil levou alguns anos desenvolvendo-se.brasil
Em 1532, os primeiros portugueses introduziram a uva no estado de São Paulo, iniciando assim a primeira produção local de vinhos. Os primeiros vinhedos com identidade, cuidados pelos jesuítas, tiveram sua origem de cultivo no estado do Rio Grande do sul, no século XVII.

Mas foi somente na primeira metade do século XIX que se observou um desenvolvimento da viticultura, mesmo que ainda de maneira local e muito artesanal, impulsionado principalmente pelos imigrantes italianos.

A produção de vinhos no Brasil ainda é modesta. Principalmente se compararmos com os vizinhos Chile, Argentina e Uruguai, mas o vinho Brasileiro está em um grande momento. A indústria vinícola brasileira leva anos demonstrando sua capacidade e, principalmente, sua qualidade. Cada vez mais vinhos destacam-se internacionalmente, e aquele que há somente algumas décadas era um desconhecido país vitícola, consegue hoje chamar a atenção com seus vinhos nas feiras e concursos internacionais.

Atualmente, e considerando as dimensões do país, a maior produção de vinhos concentra-se no solo do Rio Grande do Sul, mas nos últimos anos, observa-se um importante crescimento em outras áreas geográficas, como Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia e Paraná. Esta expansão aumentou, sem dúvida, o conhecimento sobre o “terroir” brasileiro, e continuará trazendo gratas surpresas enológicas.

sociedade-da-mesa

Ainda lembro a primeira vez que catei um vinho brasileiro. Foi em Londres, em uma feira internacional. Dario Taibo propôs que eu conhecesse os vinhos de seu país, e nos aproximamos do estande brasileiro. O destino quis que o primeiro vinho que eu provei fosse um Tannat da Lidio Carraro, e ali me deparei com uma joia enológica. A surpresa foi tão grande, que pedi que me mostrasse todos os outros produtores e seus vinhos, brancos, tintos e, principalmente, espumantes.

Naquele dia eu descobri o que é capaz de fazer em silêncio uma viticultura emergente. E acreditei firmemente no potencial de seus vinhos. Pouco posso eu dizer sobre os vinhos desse país. Mas permitam-me insistir que o Brasil é terra de bons vinhos; e que progressivamente, nesse solo irá se produzir o reconhecimento internacional. No qual se destacarão alguns de seus produtores e vinhos. Pois mesmo que às vezes a climatologia seja adversa; os meios técnicos são de vanguarda e isso está refletido em seus vinhos.

Texto: Alberto Pedrajo

Leia mais sobre este vinho brasileiro na nossa Seleção Grandes Vinhos Lidio Carraro Tannat 2011.

Conheça as vantagens de fazer parte da Sociedade da Mesa, clube de vinhos! Associe-se!

 

1 Comentário

Deixe um comentário