Descubra Ackee, frutífera, mortífera

Aqui tem ackee. Pode comer sim, porque é gostoso, mas cuidado. A chamada Castanha da Jamaica – originária da Castanheira-da-África (costa da Guiné) –, possui as hipoglicinas A e B, ferozes toxinas que podem causar envenenamento agudo. A sua polpa esbranquiçada (o arilo) é consumida sem sustos quando madura, após o fruto se partir.

Usualmente, os jamaicanos cozinham a parte carnosa em água salgada ou leite, e depois fritam, ou se deleitam curtindo o prato nacional, ackee com bacalhau. O fruto tem um sabor adocicado e levemente ácido, lembra noz e pinhão cozido.

Já sua forma é semelhante ao guaraná brasileiro, um fruto vermelho que se abre exibindo sementes parecidas com olhos. Se a bela espécie é tóxica por um lado, é benéfica por outro: combate parasitas, conjuntivite e cefaleia, tem proteínas, cálcio, ferro e vitaminas. Bastante utilizada no preparo de doces, bolos e ótima substituta de nozes. Seu nome científico, Blighia sapida, homenageia aquele que em 1793 introduziu a planta no Caribe: William Bligh. Que não era pirata, era oficial britânico.

Texto: Fabio Angelini

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe uma resposta