Vale do Aconcágua. Vinhedos aos pés da colossal Cordilheira dos Andes

0

dsc_5675
Começamos o ano de 2017, um ano para o qual temos preparadas grandes surpresas enológicas e no qual continuaremos descobrindo pequenos tesouros mês a mês. Para janeiro, selecionamos dois vinhos do nosso querido Chile, no Vale do Aconcágua, onde a família Vicente cultiva seus vinhedos e elabora seus vinhos In Situ Edicion Limitada Carmenere e Edicion Limitada Cabernet Sauvignon + Syrah.

O Vale do Aconcágua está situado na Região do Valparaíso, a uns 90 quilômetros ao norte de Santiago do Chile e a uns 105 quilômetros ao leste de Valparaíso. Este vale singular, rodeado de montanhas que variam de 1.500 a 1.800 metros de altitude sobre o nível do mar, e que acompanha o rio Aconcágua, encontra-se dominado pela imagem da montanha de mesmo nome, e está quase 7.000 metros acima da mais alta dos Andes.

O Vale do Aconcágua é outra dessas regiões vitivinícolas que pouco a pouco vai expandindo-se, oferecendo vinhos de grande personalidade.

O vale oferece condições ideais para o cultivo do vinhedo. Seu clima mediterrâneo, com estações muito marcadas – fruto da interação entre a cordilheira e o oceano -, unido à sua geologia, são os fatores que moldam o desenvolvimento do vinhedo. Seus solos pedregosos e bem drenados, e a qualidade de suas águas subterrâneas, procedentes da cordilheira andina, são o complemento ideal para fazer dele uma região vitivinícola com uma interessante projeção.

sociedade-da-mesa

Os principais vinhedos do vale encontram-se nas encostas das colinas da localidade de Panquehue. Aproveitando a situação única do solo rochoso bem drenado e a exposição solar, estes vinhedos dão origem a uvas ricas em estrutura e caráter. O solo sobre o qual se desenvolvem as raízes do vinhedo são de pouca profundidade, e sua formação tem origem durante o desenvolvimento da cordilheira andina, no Período Cretáceo. Durante milhares de anos, a fragmentação das rochas foi formando um solo combinado de meteorização com argilas e restos de matéria orgânica, criando riqueza mineral e capacidade de drenagem, uma combinação perfeita para a obtenção de uvas maduras e concentradas.

Também podemos encontrar vinhedos, no centro do vale, sobre solos de origem fluvial compostos de pedras e fragmentos de rocha arrastados desde a Cordilheira dos Andes, com uma textura mais leve, a qual favorece o cultivo de vinhedos com um perfil mais aromático e de estrutura mais elegante, o que adiciona singularidade aos vinhos da região.

puerta-vi%c2%a7edoOs primeiros vinhedos no vale datam de 1870 e as variedades tintas foram cultivadas com preferência, destacando-se os varietais de Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc. Além disso, cada vez mais o Syrah é considerado como o varietal com maior projeção deste vale.

Trata-se de um vale de grande beleza natural, onde os turistas interessados no vinho poderão desfrutar dos vinhedos e bodegas em combinação com outras atividades turísticas de montanha, como o trekking, a descida de rios, o caiaque na Lagoa do Inca ou o esqui. Aqui, os amantes deste último encontram um paraíso quando chegam à estação de Portillo, aos pés da Cordilheira dos Andes, um dos centros de inverno mais relevantes do Hemisfério Sul. O desafio, para os mais intrépidos, é escalar os 6.962 metros do Aconcágua.

Mas não são somente as atividades esportivas que têm lugar neste vale. Visitar a bodega que estamos apresentando – Viña San Esteban, é uma excelente maneira de descobrir culturas pré-colombianas enquanto se visita seus vinhedos.

Texto: Alberto Pedrajo

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!

 

Deixe um comentário