Wolfgang Amadeus Mozart

Sonata para o frango

Mozart estava em Nápoles. Nos melhores dias, costumava comer frango ou um pedaço de assado. Nos outros, contentava-se com um pequeno peixe. Sabemos disso pelas cartas que deixou. Em outra, datada de 05/11/1791, ele escreveu à esposa Constanze: “Domingo, sete horas da manhã. Dormi muito bem, e espero que tu também. Deliciei-me com a metade de um capão que o amigo Primus me trouxe”. Para quem não sabe, capão é um galo castrado. Ou frango.

mozQuem deu origem ao prato foi um cônsul romano dorminhoco. Farto da cantoria dos galos da madrugada, fez o senado aprovar uma lei que bania a ave de Roma. Para contornar a situação, os criadores passaram a castrar os animais, que, ante à penosa condição, resolveram afogar suas mágoas na alimentação: comiam compulsivamente e engordavam mais. Após o abate, descobriu-se uma iguaria sublime, de carne mais macia e delicada. “Do frango capão a perna, da galinha caipira o peito”, diz certo provérbio popular.

Até hoje, a receita é tradição de Natal em vários lugares, da Espanha ao Nordeste, com pequenas diferenças. Em Portugal, a dieta dos frangos inclui um eventual cálice de vinho doce. Na Itália, é harmonizado com a picante mostarda de Cremona. O capão à brasileira vai ao forno com o corpo repleto de farofa e miúdos, decorado com fatias de abacaxi grelhado. Com ou sem recheio, um excelente assado, e também o “amor de perdição” de Camilo Castelo Branco. O principal, mas não o único, de Mozart.

Aos 7 anos de idade, o maior compositor de todos os tempos já tinha acesso às refeições substanciais da nobreza europeia, em troca de um “pocket show” no teclado. Com 25 anos, a rotina exaustiva como músico independente em Viena – dividido entre concertos, aulas particulares, visitas sociais e hábitos desregrados – começou a minar a sua saúde. Dormia só 5 horas por dia. Se não estivesse ao piano, no teatro ou na farra, estava comendo.

Sopa de mexilhões, faisão, ostras, chocolate. E bebendo: vinho Riesling, que tomava mesmo de manhã, enquanto trabalhava em sinfonias, óperas, corais e companhia; ponche, ocasionalmente; e rum, nas noitadas, obrigatoriamente. Um espírito livre, mas algo destemperado.

Apesar do extenso conteúdo documentado em correspondências particulares, e dos mais de 12 mil títulos escritos após a sua morte, ainda parece intangível desvendar toda a complexidade do personagem histórico, que combina notas díspares de criança obscena e gênio profundo. Como equilibrar, em uma só pessoa, a faceta indecorosa e inconsequente com o prodigioso legado de seiscentas obras, que abrangem todos os gêneros melódicos de uma época?

sociedade-da-mesa

Obras que foram concebidas, muitas delas, sobre a mesa. Não a de jantar, a adorada mesa de bilhar da sala de Mozart. O irreverente, livre e espetacular. Inspiração para a criação do Mozarteum, fundação e universidade, em 1842; do “Mozartkugeln”, a famosa bolinha de chocolate de Mozart com recheio de marzipã de pistache e nougat, em 1891; e do mais apreciado licor de chocolate do mundo, o “Mozart Gold”, em 1981.

A ideia do chamado “Efeito Mozart”, por sua vez, nasceu na Universidade da Califórnia, em 1993. É o efeito que melhora as funções cognitivas e psíquicas ao se ouvir boa música, porque estimula a produção e liberação de dopamina. Faz bem ao cérebro e ao coração. “Eine Kleine Nachtmusik”, uma “pequena serenata noturna”, na caixa. E frango capão mais um bom rótulo na mesa, por que não?

Frango capão à brasileira

shutterstock_324544883-1INGREDIENTES

  • para o frango capão
  • 1 frango capão grande
  • Suco de 4 limões
  • 5 dentes de alho amassados
  • Sal e pimenta-do-reino moída
  • Manteiga para untar
  • PARA A FAROFA

  • Miúdos do capão picados
  • 150 g de bacon picado
  • 350 ml de vinho branco
  • 200 g de manteiga
  • 2 cebolas picadas
  • 2 xícaras de chá de farinha de mandioca
  • 1 cenoura picada
  • 1 xícara de chá de salsinha picada
  • Sal e pimenta vermelha picada a gosto
  • GUARNIÇÃO
    Abacaxi grelhado

    PREPARO DO FRANGO CAPÃO
    Lavar o frango capão e enxugar. Temperar por dentro e por fora com o suco de limão, sal, pimenta-do-reino e o alho amassado. Deixar apurando nos temperos entre 2 e 3 horas.

    PREPARO DA FAROFA
    Aquecer o bacon numa panela, juntar os miúdos do frango capão e deixar dourar. Temperar com sal, acrescentar o vinho e cozinhar em fogo brando, até o vinho evaporar e os miúdos ficarem macios. Derreter a manteiga numa frigideira, adicionar a cebola e dourar levemente. Colocar a farinha de mandioca e misturar bem. Juntar os miúdos, a cenoura, a salsinha e temperar com sal e pimenta vermelha. Continuar misturando, até a farinha dourar.

    FINALIZAÇÃO
    Rechear o frango capão com a farofa e costurar. Besuntá-lo por fora com a manteiga, embrulhar em papel-alumínio e assar em forno previamente aquecido a 180°C (forno médio), por cerca de 1 hora. Retirar o papel e deixar no forno por mais 30 minutos, aproximadamente, para dourar. Servir com o abacaxi.

    RENDIMENTO: 6 PORÇÕES

    Texto: Fábio Angelini

    Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!

     

    Deixe uma resposta