A lua influencia os vinhos?

0

Todos conhecemos os efeitos que a lua exerce sobre as marés dos oceanos e mares e, portanto, das massas de água. E isso acontece devido à atração gravitacional da massa lunar. Quando o sol e a lua estão alinhados e a terra está no meio, o sol ilumina a parte visível da lua, correspondendo à fase de lua cheia, portanto as forças de ambos os astros estão alinhadas e o efeito da maré é mais intenso.

Talvez este fenômeno seja mais evidente e fácil de interpretar porque é fácil de ser observado. Mas o que acontece com o resto dos fluidos? Existe também esse efeito, mesmo que seja invisível aos nossos olhos? Não pretendo, com esse artigo singelo, nada além de despertar a curiosidade de nossos leitores sobre um fato: cada vez é maior o número de bodegas que estão levando a lua em consideração, para a realização de suas diversas atividades no vinhedo.

Eu fui criado no meio rural e desde pequeno sempre ouvi que os mais velhos levavam em conta as fases lunares para a realização de diferentes tarefas no campo: semear, colher, adubar ou até roçar o pasto dos animais. Claro que eu nunca prestei muita atenção a esses fatos. Aliás, minha mãe costumava cortar meu cabelo na lua cheia quando eu era criança e, mesmo assim, hoje estou calvo. Brincadeirinhas à parte, sempre acreditei que a lua influencia diretamente nosso dia a dia. Não falo das marés, mas sim da influência direta em nossos organismos.

Conheci algumas bodegas familiares que mantinham a atividade do cultivo e da elaboração de seus vinhos embasados em antigas teorias herdadas de antepassados, onde as fases da lua marcam o ritmo dos trabalhos na vinha e dentro da bodega, de maneira que, antes de vindimar, observa-se o calendário lunar, e se faz isso novamente antes de trasfegar o vinho e também antes do engarrafamento, que não é decidido pelo enólogo, mas sim pelo firmamento, ou seja, o enólogo apoia-se nos astros. E, é claro, como em tudo na vida, há produtores que se se apoiam nessas teorias e outros que são verdadeiros ortodoxos.

sociedade-da-mesa

Vale ainda destacar a biodinâmica, que reflete melhor o que é trabalhar ao compasso da lua, já que ela dita o momento dos trabalhos no campo e na bodega, para potencializar suas qualidades.

Portanto, ao que tudo indica, já é fato que são muitos os que se fiam nas fases da lua para os trabalhos nos campos e na bodega. E certamente não há como isso ser prejudicial, talvez até seja justamente o contrário. Pode ser que, por trás da lenda ou sabedoria popular, haja algo de ciência quando se diz que engarrafar na lua cheia evita que o vinho fique turvo e também elimina a necessidade de tratamentos de clarificação ou estabilização.

POR QUE NÃO COLOCAMOS EM PRÁTICA?
Vamos entender as regras básicas do ciclo lunar, que dura 28 dias. Durante parte deste tempo, a lua é minguante, e o resto crescente. Este ciclo marca os trabalhos no campo, de maneira que, quando a lua está crescente, sua influência acelera os fluidos nos seres vivos e seu entorno, as marés sobem, a sálvia flui com mais força, e o vinho já elaborado, devido ao conteúdo gasoso em seu interior, fica mais instável.

Por isso, se nos dias de lua crescente o vinho é trasfegado, clarificado ou filtrado e engarrafado, ele terá a tendência de ser instável. Com risco de piorar, e de maneira mais rápida. Por isso, em dias de lua crescente é melhor não mexer no vinho. E, muito menos, engarrafá-lo. Por outro lado, durante a minguante, os ritmos decrescem. E é o momento propício para podar, para que a planta cicatrize logo, evitando que os parasitas a ataquem.

sociedade-da-mesa

A minguante pode ser um bom momento para fermentar o vinho. Pois o processo de fermentação será mais detido e isso pode favorecer a potencialização de seus aromas e sabores. Contudo, a influência da lua também pode se ver afetada pelo resto dos astros. Aprofundando-nos na astrologia, vemos como a lua passa, ao longo dos seus ciclos, por diferentes constelações, que conformam os signos do zodíaco e se agrupam em quatro elementos: água; ar; fogo e terra.

Quando a lua está em algum desses signos, sua ação carrega-se dessas energias. De maneira que, se está em Sagitário, cuja energia é a do fogo, os trabalhos do campo serão influenciados por esse caráter, que no caso do vinho se relaciona com a fruta. Se o desejo é potencializar a fruta no vinho, o ideal é realizar trabalhos como a poda, trasfego ou engarrafamento com essa energia.

Se existe um compasso entre a lua que marca o caráter do vinho, também há outro para degustá-lo. Acontece que a biodinâmica marca qualquer atividade biológica. E também a da cata. Nesse caso, nossos associados podem fazer uma experiência com a influência dos astros no consumo do vinho. Os quatro elementos das constelações influenciam, com suas energias, diferentes grupos de aromas e sabores. Assim o fogo é a fruta; a terra são as raízes; a água é a folha e o ar é a flor. Dependendo da posição da lua, o vinho mostrará a todos o seu esplendor.

Texto: Alberto Pedrajo

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!

 

Deixe um comentário