The Wishbone Shiraz Garnacha 2016 | Seleção Grandes Vinhos

The Wishbone Shiraz / Garnacha é um vinho mágico, onde um coupage tradicional do Rhone abre-nos o paladar para elaborações muito interessantes, como a desta seleção. Permitam-me insistir: não é fácil encontrar um Shiraz australiano tão elegante.

País: Austrália
Região: South Eastern Australia
Indicação Geográfica: Barossa Valley
Uva: 75% Shiraz, 25% Garnacha
Maturação: 10% meses de crianza em barris de carvalho, 50% franceses e 50% americanos
Álcool: 14% vol.
Produtor: Magpie Estate

O vinho
Os dois varietais foram elaborados separadamente, cada um deles vindimado no ponto ótimo de maturação. Foram fermentados separadamente em depósitos de aço inoxidável, onde, uma vez finalizadas as fermentações alcoólica e a malolática, o vinho foi trasfegado para barris de carvalho francês e Americano de vários usos, onde permaneceu até completar sua crianza de 10 meses. Após a crianza, o enólogo Rolf Binder preparou o “assemblage” dos dois varietais de diferentes barris, permanecendo durante um tempo em depósito para sua complete integração antes do engarrafamento.

Cata
Vermelho-cereja de boa intensidade e com lágrima que se destaca. Aprincípio, no nariz destacam-se notas de cereja, framboesa e outras frutas vermelhas, que se fundem com defumados e especiarias. Na boca, destaca-se a acidez que conjuga perfeitamente com sua estrutura firme. A madeira bem integrada deixa o protagonismo para a fruta, que na boca manifesta-se mais madura e aporta elegância. É um vinho longo, fino e sedoso, cheio de matizes para serem descobertos a cada gole.

sociedade-da-mesa

Harmonização
O frescor e elegância deste Shiraz / Garnacha combinam com pratos de ave, mariscos ou peixe na brasa. Por isso sugiro, nesta ocasião, um polvo na brasa sobre um fino purê de batatas e um ensopado de frango acompanhado com arroz de especiarias: dois pratos que serão bons companheiros para este vinho tão vibrante e que nos permitirão desfrutar de todos os seus matizes.

Serviço
A temperatura recomendada de consumo deve estar entre os 16 e os 17ºC. Não é necessária a decantação prévia, mas tenham paciência e observem como evolui na taça. Com a passagem do tempo, será necessária a oxigenação antes.

Guarda
Está pronto para ser degustado, mas os próximos meses aportarão mais ao conjunto, por isso tenham mas paciência para vê-lo crescer. Não se preocupem com a tampa de rosca, não será um obstáculo para o repouso, a acidez do vinho os ajudará. Estima-se um consumo ótimo dentro dos próximos 6 anos (2017 – 2023).

Texto: Alberto Pedrajo
Tradução: Paula Taibo

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe uma resposta