Do lixo ao luxo

0

Antigamente, as rolhas de cortiça eram desprezadas e abandonadas à sua própria sorte. Então, foram promovidas a stop doors e puxadores de gaveta. Evoluíram para descansos de panela, e finalmente adentraram o território artístico.

Estão no design útil do alemão Wiese Gabriel, formatando tapetes, cadeiras e tabuleiros de xadrez. E na criativa Toy Art do brasileiro Paulo Grohman, que começou seu hobby inventando pequenos bonecos coloridos feitos de rolhas recicladas – os “rolhecos” –, para depois virar negócio e decorar adegas, escritórios e outros ambientes.

O albanês e mestre dos mosaicos, Saimir Strati, pensou em escala maior: usou 229.764 rolhas de diferentes formas e tons para compor um painel de 13 por 7 metros, intitulado “Romeo with a crown of grapes playing the guitar while dancing with the sea and the sun”.

sociedade-da-mesa

A essência sustentável da cortiça foi também inspiração para a estilista portuguesa Teresa Martins. Em 2014, ela desenhou e presenteou Lady Gaga com vestido e capa especiais tecidos em cortiça, folheadas a ouro e prata. Matéria-prima boa é o que não faltava: Portugal responde por mais de 60% das exportações mundiais de cortiça.

Corkarmchair
Limited Edition 3/30
Wiese Gabriel
www.korkart.de

Texto: Spartaco Rodrigues

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe um comentário