Orange River, os vinhos do deserto

0

Nossa primeira seleção de 2018 vem da África do Sul: Anesu Shiraz 2015. Um vinho maduro, complexo, com personalidade e caráter, que podemos classificar como extremo, ao limite, já que procede de alguns dos vinhedos mais ao norte da África do Sul, às portas do deserto de Kalahari.

Esta seleção fala da pluralidade e da diversidade dos vinhos da África do Sul. O Anesu Shiraz 2015 nasce no deserto. Em um clima intenso, graças ao caudaloso Orange River. O vinhedo cresce nas planícies inundáveis, ricas em sedimentos e bem irrigadas, que, em combinação com o ar seco procedente do deserto, alcançam condições de cultivo excepcionais, o que permite o desenvolvimento do vinhedo em um ambiente de mínima intervenção, onde raramente é necessário o controle de pragas.

sociedade-da-mesa

O rio cria um microclima que modera suficientemente a temperatura do entorno para a produção de uvas de qualidade. Este fato, além do tipo de solo ao longo das margens, formado por uma combinação de depósitos aluviais, granito, dolerita e giz, permite que as bodegas possam plantar vinhedos com grande potencial.

O rio Orange é o mais longo da África do Sul. Começa em Drakensberg, nas montanhas de Lesotho, e abre caminho através do sul de Kalahari, criando um cinturão verde ao longo de sua longitude antes de chegar ao Oceano Atlântico, na Costa Oeste. Mesmo que não passe por nenhuma cidade importante, tem um papel transcendental na economia da África do Sul, ao proporcionar irrigação para as terras agrícolas do deserto ao norte. Graças ao caudaloso rio, existe o denominado Kalahari Verde na fronteira norte do país, onde o deserto nos oferece uma paisagem inesperada.

O lugar é lindo e a beleza desoladora do deserto é compartilhada com vales verdes e férteis campos ao longo do rio, que se estende para o noroeste da África do Sul, até a Namíbia e Botswana. O verde intenso dos vinhedos ladeia o rio por aproximadamente 350 quilômetros, ao longo de cidades agrícolas como Groblershoop, Upington, Keimoes, Kakamas e Grootdrink. Entre todas estas cidades agrícolas pelas quais passa o rio, possivelmente Upington é o epicentro do Kalahari Verde, tanto geograficamente como comercialmente. E é aqui que foi fundada a bodega que estamos apresentando neste mês: Orange River Cellars.

As bodegas situadas nesta região costumam ser muito abertas para receber visitas e fazer catas. A proximidade com o deserto faz com que a hospitalidade de seus habitantes seja sentida logo na chegada. As visitas gratuitas costumam ser abertas ao público durante a temporada de vindima, entre janeiro e março, mas de qualquer modo, são abertas exceções em outras épocas do ano, para visitantes interessados em degustar seus vinhos.

Visitar a região leva tempo. As distâncias entre os povoados são longas, por isso, são necessários no mínimo dois dias para poder degustar vinhos e desfrutar dos inigualáveis entardeceres em alguma pensão, onde a comida caseira é abundante. Também é um luxo desfrutar das noites de paz total, à luz das estrelas na fronteira com o deserto. Complementando, o café da manhã servido com vista para o rio é como um imã para que o visitante fique mais uns dias por aquelas terras.

Texto: Alberto Pedrajo
Tradução: Paula Taibo

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe um comentário