Uísque

0

Ave Canem
O cão é o afeto em quatro patas
Amigo na alvorada ou noite escura
Pois ainda que faminto, a fuçar latas
Fiel nos segue em dita ou desventura

É chama e é sombra, paz e alerta
Renúncia consentida, amor doado
Lealdade que não falta na hora incerta
É luz de quem não vê, cego ou extraviado

Arrimo igual, irmão, só na bebida
Naquele “twelve years” especialmente
É tudo que ora digo, face erguida

Qual sóbrio porta-voz da boêmia gente
E lanço, copo à mão, novo ditado:
“O uísque é o cão engarrafado”
(Vinicius de Moraes)

Margareth Thatcher, Frank Sinatra, Mário Quintana… Para muitos nomes imortais e mortais, não há nada melhor do que uísque, no estado líquido. Bom russo, Stravinsky tomava vodka, claro, mas não escondia sua preferência: “Eu gosto tanto de beber uísque que, às vezes, acho que meu nome é Ígor Stra-whisky”. Mark Twain dizia que muito de uma coisa só não é bom, mas muito de uísque não é suficiente. Tem uma frase de camiseta, bem popular, que circula livre e orgulhosamente nos troncos de fãs: “O uísque e a cerveja são os piores inimigos do homem, mas o homem que foge dos seus inimigos é um covarde”. Palavras de Zeca Pagodinho.

Para Vinicius de Moraes, não tinha nada dessa história de inimigo. Ao lado dos versos, das mulheres, do Botafogo e dos companheiros de noite, de letras e melodias, o uísque era muito mais do que um simples parceiro, era “o melhor amigo do homem, o cachorro engarrafado”. A espirituosa definição prova a fidelidade à bebida, além de homenagear os cachorrinhos que aparecem no rótulo da sua marca de estimação. “Cerveja é perda de tempo”, disse Vinicius a um jovem Tom, que aprendeu muito da vida com o mestre boêmio, inclusive a beber.

sociedade-da-mesa

Quem o conheceu melhor, diz que ele gostava até mais da cozinha do que do bar. Mas falar de uísque sem citar o compositor de “Garota de Ipanema”, “Soneto de Fidelidade”, “Onde Anda Você” e “Rosa de Hiroshima” seria uma insensatez. Fosse com Jobim, Toquinho, Baden Powell, João Gilberto, sozinho ou com uma de suas nove mulheres, Vinicius era frequentemente visto em idílio com o copo cor de âmbar-caramelo. E em entrevistas pescadas no YouTube, onde ele quase sempre aparenta estar levemente embriagado, onde quase sempre fala de sua primeira esposa.

Os bares e as boates do Rio de Janeiro eram o seu habitat natural. Para sair são e salvo dos momentos mais vulneráveis e lugares mais confinados, o irreverente poeta da paixão chegou a tomar aulas de jiu-jitsu com Hélio, o patriarca da família Gracie. Sóbrio. No fundo, Vinicius queria mergulhar nas boas coisas da vida, eternizar os sentimentos, e pouco importava se o uísque nasceu em 800 a.C., segundo os indianos, ou no século 4, como reivindicam os irlandeses. Em posse do seu “Blended Scotch Whisky”, tudo era harmonia.

A primeira evidência escrita sobre a destilação de uísque na Escócia vem de 1494, prática nativa nas “highlands”. A própria palavra “whisky” deriva do gaélico escocês “uisge beatha”, cujo significado é “água da vida”. No início, a bebida era fabricada por monges e utilizada unicamente para fins medicinais. Só depois a produção caseira foi liberada e espalhou-se pela Europa.

Com o tempo, surgiram drinks protagonizados pelo uísque: Manhattan, Alexander, Whisky Sour e o campeão de popularidade, o Old Fashioned. Vinicius era da turma do “cowboy” e do “on the rocks”. Purista. Simples. E é assim que ele foi retratado pelo artista Juarez Paraíso, em Salvador. Na Praça Vinicius de Moraes, em Itapuã, podemos sorver a escultura do poeta, sentado a uma mesa de bar. Turistas formam filas para abraçar a obra e reverenciar o homem. Com um copo de uísque na mão.

OLD FASHIONED

Ingredientes
• Duas doses de uísque
• 3 pitadas de Angostura
• Uma colher de chá de açúcar
• Uma fatia de laranja
• Uma cereja
• Gelo

Modo de preparo
Coloque o açúcar no copo. Adicione 3 pitadas de Angostura. Macere levemente os dois, com um pouquinho de água junto. Coloque gelo no copo. Em seguida, adicione as duas doses de uísque. O ideal é uísque de centeio (Rye), porque era mais popular na época em que a receita foi criada, mas pode ser Bourbon também. Misture a bebida. Decore o copo com uma fatia de laranja e uma cereja.

Texto: Fábio Angelini

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!

 

Deixe um comentário