“Tirei mais proveito do álcool do que o álcool tirou de mim”

2

Winston Churchill Champagne Pol Roger

No livro “1.411 QI Facts To Knock You Sideways”, os autores afirmam que Sir Winston Churchill chegou a beber 42.000 garrafas de champagne ao longo de seus 90 anos. Isso que é colocar o fígado
à prova. Mas a champagne é só a ponta do iceberg. Apreciava uísque, dry martini, brandy envelhecido com soda, vinho branco alemão, Vinho do Porto, Bordeax e outros drinks, como o highball.

Que Churchiill ingeria quantidades incalculáveis de álcool, parece fato indiscutível. Quem o conheceu, quem conhece um pouco de história, sabe. Algumas vezes, não conseguiu terminar seu discurso nas sessões parlamentares. Porém, tinha uma resistência notável, raramente se embriagava e até desdenhava os bêbados. Além disso, grande parte da bebida que consumia ia pra baixo junto com as refeições.

Para o povo e a imprensa da Inglaterra, isso é irrelevante. São tradicionalmente tolerantes perante os hábitos e deslizes etílicos de seus líderes. E Winston foi dos maiores, herói britânico da Segunda Guerra, grande orador, o mais respeitado e admirado de todos os primeiro-ministros do Reino Unido.

Pela sua obra literária, especialmente os 6 volumes de “The Second World War”, ganhou um prêmio Nobel “pela sua maestria na descrição histórica e biográfica, bem como pela brilhante oratória
em defesa dos valores humanos.”

Para o imponente e aristocrático Churchill, a mesa era mais do que um modo de obter prazer, era fonte de informação e poder. Ele costumava acompanhar os detalhes do menu e influenciar os outros com seus gostos: sopas, caviar, carnes de caças, aves, sorvete, pera, queijo stilton. E a champagne Pol Roger – a mesma escolhida para os casamentos do príncipe Harry com Meghan Markle, e do príncipe William com Kate Middleton. Envelhecida em frias caves, é uma champagne de classe e complexidade, um assemblage de vinhos elaborados com uvas de vinhedos Grand Cru e Premier Cru, com adição de 25% de vinhos reserva de safras antigas.

sociedade-da-mesa

Fundada em 1849, a Pol Roger é uma das grandes marcas do Vale de Epernay e se tornou fornecedora da residência de Churchill desde 1908. O estadista, que cresceu habituado a beber champagne, apreciava especialmente o lendário Pol Roger Vintage 1928, que ele recebia de aniversário todos os anos de Odette Pol Roger, sua grande amiga.

Quando Winston morreu, em 1965, madame Odette exigiu uma tarja negra em todas as garrafas da marca. E em 1984, a produtora lançou uma nova champagne de luxo, nominada “Cuvée Sir Winston Churchill”. Que ele certamente aprovaria e beberia, pois champagne estimula o ânimo e o raciocínio, segundo a filosofia do premiê de charuto gordo nos lábios.

Pol Roger Brut Cuvée
Sir Winston Churchill Vintage 2004

Denominação: Champanhe Francesa
Capacidade: 0,75L
Cor: dourada profunda com bolhas
persistentes
Castas: Pinot Noir, Chardonnay
Grau: 12,5% Vol.
Notas de Prova: dourada profunda com bolhas persistentes. No nariz, notas de frutos secos, amêndoas torradas e mel. No palato encorpado, equilibrado com uma acidez refrescante e notas cítricas. Final de boca com notas de manteiga e aromas frutados.

Texto: Fábio Angelini

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!

 

2 Comentários

  1. Pingback: “Tirei mais proveito do álcool do que o álcool tirou de mim” – Revista Sociedade da Mesa – Locomotiva Viagens

Deixe um comentário