Macarrão: piração e inspiração

Difícil encontrar alguém que não goste de massa. E tem gente tão fascinada pelo alimento que o utiliza para saciar sua fome de cultura, extravasar as inclinações
artístico-culinárias.

De Seattle, E.U.A., saem belíssimas telas feitas em farinha, coloridas naturalmente. A cozinheira-artista Linda Miller Nicholson diz que usa apenas vegetais, ovos e supercomidas nas misturas. Suas obras podem ser apreciadas e curtidas no Instagram. O russo Sergey Pakhomov segue outra receita: com vários tipos de macarrão, produz miniaturas ultrarrealistas e complexas de objetos, desde um minúsculo carro com bancos reclináveis e portas móveis, até uma pequena cidade de lasanha que levou 3 anos para sair do forno. Espaguete também vai bem com letras.

“Macarrão é a comida dos deuses/ macarrão é um tipo de calma/ macarrão é um tipo de sonho/ macarrão é a comida da alma”. Trecho da “Ode ao Macarrão”, que integra o livro de poesia infantil de Fabrício Corsaletti. Brasileiro, não italiano. Mas o sobrenome não nega a ascendência.

Texto: Spartaco Rodrigues

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!

 

Deixe uma resposta