A variedade Dornfelder é o resultado de um cruzamento de diferentes  variedades. Criada em meados dos anos 50 do século XX, na Escola Vitivinícola Weinsberg, em Württemberg.

O cruzamento consiste em fornecer o material genético de diferentes variedades de vinha. Para conseguir um indivíduo que mostre as características que se pretende obter diante da seleção de diferentes fenótipos.

São obtidos indivíduos resistentes às condições climáticas e edafológicas do lugar onde se pretende implantar. Além de terem maior resistência a doenças e pragas. Do mesmo modo, são obtidos vinhos com as características das variedades com as quais foram realizados os cruzamentos.

Estas  características supõem uma melhora substancial das variedades que os genes forneceram para conseguir o cruzamento. Não se trata de manipulação genética, mas do cruzamento de indivíduos diferentes, buscando uma seleção ou cruzamento que, entre outros valores, ajude-nos a minimizar o uso de produtos fitosanitários no cultivo do vinhedo.

sociedade-da-mesa

A uva Dornfelder começou a se impor em meados dos anos 1.970. Até então, não existiam mais de 100 hectares. Hoje, são cultivados uns 8.200 hectares, o que representa por volta de oito por cento das superfícies dedicadas à vinha na Alemanha. Somente o Spätburgunder (Pinot Noir) é cultivado mais entre as variedades tintas. Às margens do Nahe, no Palatinado, em Rheinhessen e em Württemberg, a Dornfelder já está entre as variedades “clássicas”.

A Dornfelder é uma variedade robusta e resistente, 11 que deve ser muito bem gerenciada durante seu ciclo vegetativo, para evitar altos rendimentos e por ele, muitos viticultores realizam colheitas ainda verdes, cortando algumas uvas no começo do período de amadurecimento, para reduzir o rendimento e apoiar assim a concentração nas uvas restantes.

Esta variedade é pouco exigentes quanto a solos, adapta-se bem em terrenos arenosos e pedregosos. Com esta variedade, são produzidos sobretudo vinhos tintos secos e também semi-secos com algo de açúcar residual, como é o caso do vinho apresentado neste mês.

Estes vinhos podem ser vendidos como jovens. Onde subtraiam os intensos aromas de frutas, tais como cereja, amora e sabugueiro, ainda que seja habitual a crianza em barris ou tinas de carvalho. Desta maneira, os vinhos criados adquirem complexidade, destacando mais os taninos e a estrutura, reduzindo os aromas a frutas. Na maioria dos casos, trata-se de vinhos saborosos, suaves e harmônicos.

A Dornfelder é fácil de identificar pela sua cor intensa e escura. Primeiramente, estes são vinhos de consumo local, que tendem a ser bebidos, em sua maioria, na mesma região onde são produzidos. Visando uma quantidade muito pequena à exportação. As características destes vinhos são grande potencial aromático e suavidade. São redondos, expressivos e encorpados.

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!