Texto: Alberto Pedrajo Pérez

Em nossos artigos, falamos com frequência sobre a riqueza do vocabulário que existe relacionado ao mundo do vinho.

Procuramos aproximar expressões frias a uma linguagem compreensível.

Se há uma coisa da qual o mundo do vinho pode orgulhar-se é do dicionário.

Que vem sendo enriquecido ao longo da história com uma infinidade de termos de origens diferentes.

Muitas vezes, alguns termos usados como sinônimos surgiram em utilizações distintas. Por isso, temos de entender a que se deve a palavra em sua origem.

Algumas palavras são utilizadas erroneamente como se fossem equivalentes, para definir uma mesma ação. E como o objetivo principal dos nossos artigos é explicar o porquê das coisas deste “mundinho”.

Aqui temos demonstrado o que para mim é o melhor exemplo de um dos usos mais ambíguos do dicionário vitivinícola; os termos “assemblage” (montar), “coupage” (misturar) e “blend” (misturar).

Essas palavras poderiam resumir-se como o ato de misturar, contudo elas têm diferentes matizes em função da sua origem. E é aí que começa o problema.

Essas três expressões são comumente utilizadas como sinônimos, e isso não está correto.

O mais técnico e preciso provavelmente seja assemblage que definiria a mistura de vinhos, mas, o mais empregado é coupage, que é utilizado de forma indiscriminada para definir tanto a mistura de uvas como a de vinhos.

E da onde surge esse erro?

É comum deparar-se com esses termos quando lemos artigos relacionados ao mundo do vinho.

Os escritores, com o intuito de refinar seus textos, utilizam-nos indistintamente, de forma imprecisa e confusa e isso que fomenta a confusão.

Assemblage

No dicionário, a palavra assemblage é definida como a união de duas ou mais peças que formam parte de uma única estrutura e cujo fim é que se encaixem perfeitamente.

Esse termo de origem francesa vem a significar exatamente isso: a arte de misturar vinhos e não as uvas que compõem o caldo.

Esses vinhos são elaborados separadamente, segundo variedades, parcelas diferentes ou métodos de elaboração e safras diferentes.

A mistura tem a finalidade de unificar qualidades ou compensar com as qualidades de uns, os defeitos de outros e assim obter um vinho melhor.

Dica: prove esse vinho assemblage argentino

Coupage

Assim como o termo anterior, essa palavra é de origem francesa e também está ligada ao conceito de misturar, tão extensamente utilizado no mundo dos vinhos. No entanto, coupage não define a dita mistura com o encaixe dos vinhos.

Portanto, mesmo que a ideia seja também a de misturar, aqui podemos falar de mistura das próprias uvas na bodega até os vinhos finais, antes do engarrafamento.

Quando se realiza um coupage, a finalidade é mais de misturar para unificar que buscar o encaixe perfeito.

Blend

Por último, temos a palavra blend, de origem inglesa, que também significa mistura e cuja utilização está mais próxima ao coupage do que ao assemblage.

Esse termo está estendido a outras bebidas alcoólicas como o uísque, mas é habitual o seu uso em países anglo-saxões para definir misturas em geral de uvas ou vinhos.

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!