Neste mês quisemos surpreender nossos associados selecionando dois vinhos procedentes das melhores regiões vitivinícolas espanholas. Além de serem duas das mais destacadas do mundo: Rioja e Ribeira del Duero. Ainda assim, os vinhos selecionados estão longe dos clichês que costumam acompanhar essas zonas. Na seleção Obras-Primas apresentamos um supervinho de Ribera del Duero. Que talvez nos ajude a entender o grande potencial de guarda de alguns dos vinhos desta região vitivinícola.

Protos

A Denominação de Origem Ribera del Duero conta com uma combinação privilegiada de solo, microclima e uma uva autóctone que produz magníficos e complexos vinhos tintos. A Tempranillo (também conhecida nesta região como Tinta del País ou Tinto Fino). Cresce com uma pele fina e uma acidez com a qual se produzem vinhos jovens deliciosos. Mas, que ao mesmo tempo têm capacidade para envelhecer magnificamente, dando lugar a grandes vinhos de guarda. Como é o caso deste Protos Serie Privada 2010.

Esta Denominação de Origem é formada por quatro províncias castelhano-leonesas. Burgos, Segóvia, Soria e Valladolid, ao longo do rio Duero. A arte de fazer vinho na Ribeira del Duero é, sem dúvida, parte inseparável de sua tradição. É necessário viajar nada menos que 2.000 anos para encontrar a primeira referência vinícola da região. Um mosaico romano de 66 metros quadrados. Que é considerado a peça com maior quantidade de alegorias báquicas da grande península. O mosaico foi descoberto em Baños de Valdearados, durante a vindima de 1972.

A história da Ribera del Duero caminhou paralela à união da vinha, do vinho, da paisagem, da personalidade do povo e de sua cultura. A Denominação de Origem, como conhecemos hoje, surgiu após a iniciativa de uma série de viticultores e bodegueiros preocupados em impulsionar os vinhedos e a qualidade de seus vinhos. A primeira ata nos livros do conselho regulador data de 23 de julho de 1980, quando esse organismo atuava de maneira provisória. Dois anos mais tarde, em 21 de julho de 1982, o Ministério de Agricultura, Pesca e Alimentação da Espanha, outorgou à Ribera del Duero a Denominação de Origem e aprovou seu primeiro regulamento.

sociedade-da-mesa

Desde então, iniciaram-se novas práticas de cultivo. A introdução das mais modernas tecnologias para a elaboração do vinho e os rigorosos processos de controle aplicados pelo Conselho Regulador. Que fizeram desta Denominação de Origem da Ribera del Duero um sinônimo de qualidade.
O que faz dessa terra um lugar único para a elaboração do vinho?
O clima, sua edafologia e seu povo formam uma equação quase perfeita.

Clima
As condições específicas climatológicas que caracterizam o cultivo da videira na Ribera del Duero têm grande influência no ciclo vegetativo das vinhas, desempenhando um papel fundamental no desenvolvimento da planta e no amadurecimento da uva.
Protos Protos
Dessas condições especiais depende, em grande medida, a qualidade dos vinhos obtidos. Seu clima caracteriza-se, em linhas gerais, por uma pluviometria moderadamente baixa (400-600 mm por ano) que, unida aos verões secos e invernos longos e duros, com oscilações térmicas ao longo das estações, situam a região dentro de um clima de tipo continental, com influência atlântica e temperatura média anual de 11ºC.

Geologia
A Ribera del Duero localiza-se na grande meseta setentrional da Península Ibérica. Na grande maioria constituída por sedimentos de areias limosas ou argilosas. Com alternância de capas, tanto calcárias como de margas e, inclusive, de concreções calcárias. A orografia da zona oscila entre as colinas interfluviais, com áreas de 911 metros, e os vales, com uma altura topográfica situada entre 750 e 850 metros.

Uvas
Nos vinhedos da Denominação de Origem Ribera del Duero, sem dúvida uma variedade se destaca do resto: a Tempranillo ou Tinta del País. Desta variedade obtêm-se vinhos aromáticos, muito frutados e de cor vermelho muito vivo. Também é conhecida por possuir grandes aptidões para o envelhecimento, no que, ocasionalmente, é acompanhada por outras variedades cultivadas na região.

Na Ribera del Duero está autorizado o cultivo de seis variedades de uva, o Albillo como a única variedade branca, e a Tempranillo (Tinto Fino ou Tinta del País), a Merlot, a Malbec, a Cabernet Sauvignon e a Garnacha Tinta, como variedades de uva tinta.

Vinhos
Nesta região, os vinhos são elaborados com um mínimo de 75% da variedade Tempranillo. Desses, 95% recebem como complemento as variedades Cabernet Sauvignon, Merlot e Malbec, e os 5% restantes são compostos pelas variedades Garnacha e Albillo.

Conheça as vantagens de fazer parte da Sociedade da Mesa, clube de vinhos! Associe-se!

 

Vinhos TintosPowered by Rock Convert