“…E acrescente salsinha e cebolinha a gosto.” Um clássico na finalização dos pratos, não é mesmo?

canteiro - salsinha e cebolinha

Elas podem andar juntas, ou separadas. Podem ser compradas desidratadas ou frescas. Ou melhor ainda, plantadas em pequenos vasinhos ou jardineiras que você pode ter em casa e colher na hora de usar.

O importante é que, além de dar aroma e sabor aos pratos, esta dupla ainda pode proporcionar vários benefícios para a sua saúde.

A salsinha (Petroselinum sativum) é originária do sul da Europa, principalmente Itália, e Oriente Médio. É rica em vitamina A, B1, B2 e C, além de contar com fósforo, cálcio, ferro, potássio, magnésio e enxofre. Suas folhas exalam um aroma forte e agradável. São caracterizadas por uma cor verde escura brilhante em formato triangular. As folhas podem ser lisas, crespas, ou muito crespas.

Na cozinha, ela pode fazer o papel principal, como é o caso do tabule e do chimichurri, ou ser usada para dar um toque de sabor e frescor a qualquer iguaria. Para aproveitarmos seu poder nutritivo, podemos até mesmo colocá-la em sucos, salpicadas em saladas, ou como infusão.

Assim como a salsinha, a cebolinha também é rica em vitaminas, como a A, E e C, e sais minerais como cálcio, fósforo, magnésio, zinco, manganês e cobre, além da niacina, que estimula o apetite e deixa nossa pele mais bonita.

A Allium schoenoprasum, ou simplesmente cebolinha, é considerada um antibiótico natural pelo seu alto poder nutritivo. Originária da Ásia e China, é muito utilizada para dar um toque de cor e sabor nos pratos. Apresenta uma cor verde escura, em formato cilíndrico e oco.

Tanto a salsinha quanto a cebolinha podem ser cultivadas em casa. Não tem segredo. Precisam de sol pleno, de preferência o da manhã, e solo úmido. A terra deve ser adubada, rica em matéria orgânica e bem drenada. As mudas podem atingir até 30 cm de altura.

No caso da salsinha, é importante limpar as folhas e ramos secos e amarelados. Quando for colher, opte pelos ramos mais desenvolvidos, assim você garante que a muda durará por mais tempo.

Mas, e se comprar no mercado? O truque é saber conservá-la. Para isso, devemos sempre escolher o ramo mais fresco, sem manchas ou folhas secas.

sociedade-da-mesa

Elas podem durar até uma semana na geladeira, se forem envolvidas em papel-toalha e fechadas em um saco plástico ou pote com tampa. O papel-toalha ajuda a absorver a umidade da folha. Outra dica é picar e congelar a salsinha em sacos plásticos, elas podem durar semanas e até meses.

Uma dica importante no cultivo de temperos é manter o solo úmido, mas nunca encharcado.

Na hora de colher a cebolinha da sua horta, preste atenção para cortar a haste inteira e nunca pela metade, isso garante que o ciclo continue. Algumas pessoas preferem arrancá-la inteira para aproveitamento do pseudocaule.

A cebolinha também pode ser conservada na geladeira ou guardada picada em potes no congelador. Sem segredos, como a salsinha.

Quer impressionar seus convidados? Use e abuse de ervas e temperos, e descubra o que cada um tem a oferecer.

A cebolinha, por exemplo, pode ser usada como uma “fita” para amarrar trouxinhas de massa de crepe recheada. É isso mesmo! Inove na apresentação daquela panqueca de sempre. Faça um lindo e saboroso refogado de carne moída com molho de tomate, e bem temperado com salsinha para o recheio. Coloque o refogado bem no centro de cada massa de panqueca pronta, e puxe as pontas para cima formando um sachê. Amarre a massa com uma cebolinha e coloque a trouxinha sobre uma cama de molho de tomates ou molho de queijos.

Simples assim, mas saboroso e delicado como o cheiro verde: simples de cultivar, fácil de cuidar e essencial para impressionar.

Texto: Erica Ochoa
Fotos: banco de imagens

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!