quimica - bananaMUITO MAIS QUE ÁGUA

Num coletivo inconsequente onde a banana assumiu tanto as conotações bem humoradas e os tons pejorativos quanto, infelizmente, nuances politicamente incorretas e condenáveis, feliz é quem se aproveita das propriedades palatáveis e alimentares do fruto mais popular do mundo, talvez o mais antigo do planeta. Ou melhor, o pseudofruto, pois cientificamente falando, a banana é uma pseudobaga da bananeira. Há centenas de variedades, a maioria do gênero Musa – e de fato musa ela se tornou, especialmente entre os atletas, sedentos dela em: banana split; virado de banana-nanica; banana chips; banana-da-terra assada; purê de banana-maçã e até cerveja de banana, presente nas prateleiras de importados. Ou simplesmente ao natural, com sua polpa macia e doce.

 

DIÁRIO NUTRICIONAL DE UMA BANANA

Após a primeira frutificação, as partes áereas da bananeira morrem, mas são repostas por novos rebentos que crescem a partir da base – daí sua classificação como planta herbácea perene. Os cachos da pseudobaga banana formam-se também em pseudocaules, que nascem do verdadeiro caule subterrâneo. Cada penca possui até 20 bananas mais ou menos, e cada cacho pode carregar de 5 a 20 pencas. A variedade preferida dos brasileiros é a nanica, mas na hora de escolher qual levar, não se embanane: todas possuem, além de 75% de água em média, 25% de matéria seca altamente nutritiva e facilmente assimilável pelo organismo. Até mesmo sua casca é aproveitada em receitas como brigadeiro, bolo, farinha ou bife empanado de casca de banana.

Tem carboidratos para elevar as reservas energéticas. Fibras que promovem a saciedade e o bom funcionamento intestinal. Potássio para prevenir cãibras. E até triptofano, que é convertido em serotonina e melhora o humor. Não é por acaso que a banana transita por todas as classes sociais e é hoje a quarta cultura mais importante do planeta, só atrás do arroz, do milho e do trigo. E suas propriedades benéficas não param por aí:

 

  • Vitamina A: além de importante no crescimento das crianças e do feto, combate os radicais livres.
  • Vitamina B6 (piridoxina): potencializa a absorção do zinco, contribuindo para a reparação dos tecidos.
  • Vitamina C (ácido ascórbico): reforça o sistema imunológico e revigora a pele.
  • Fósforo: mineral essencial para turbinar a memória e formar ossos e dentes.
  • Potássio: reduz os efeitos da hipertensão, favorece a oxigenação do cérebro e a concentração.
  • Açúcares: regulam os níveis de glicose no sangue, atacam os efeitos da TPM, os enjôos matinais e a ressaca.
  • Ferro: estimula a produção de hemoglobina e ajuda no tratamento e na prevenção da anemia.

 

Bom é que, mesmo com toda essa opulência nutricional, ainda podemos adquirir o produto “a preço de banana”, pois ele ocupa menos de 1% do total de despesas do brasileiro com alimentação. Uma ou duas unidades por dia, como lanche ou complemento, é a recomendação. Menos para diabéticos e obesos, pois uma banana de 120 g carrega cerca de 100 calorias e bastante açúcar.

Texto: Fábio Angelini

Fotos: banco de imagens