MILHO

Bom na festa e também quando não tem festa Zea mays. O nome científico nada caipira pertence ao cereal que é um dos protagonistas das festas juninas. Mas sua fama não se resume aos quitutes de São João, Santo Antônio e outros que tais. Originário do México, o milho faz parte da família das gramíneas (Poáceas) e é uma planta hermafrodita, que produz a flor masculina e o pólen na parte de cima, e a flor feminina, a espiga propriamente dita, a meia altura.

CABELUDO E DESCABELADO, MAS GOSTOSO E NUTRITIVO

Digno de descabelar qualquer cabeleireiro, o cabelo do milho, cá entre nós, não é um primor de beleza, mas é fundamental para a planta: cada fio que sai da espiga dá origem a um grão. E mesmo com a aparência rebelde, o cereal se dá muito bem com a tecnologia, adaptando-se bem à mecanização da agricultura e respondendo bem às modernas técnicas de cultivo e colheita. O resultado, na ponta de cá, são iguarias e pratos de dar água na boca, como a espiga de milho, clássico atemporal nas mesas e nas praias do litoral sul de SP, creme de milho, cuscuz, curau, pamonha, canjica, bolos, sorvetes, sucos e muito mais. Sem falar, é claro, na companhia imprescindível de qualquer filme, bom ou ruim, no cinema ou no sofá: a pipoca.

Por trás de todo esse charme, uma química especial: rico em proteínas e carboidratos, e com uma quantidade bem baixa de gordura, o milho é também fonte de fibras, contém quase todos os aminoácidos que existem e conta com diversos nutrientes que fazem bem à saúde, como você pode ver a seguir.

  • Fósforo: preserva a memória, de acordo com os químicos, médicos e, segundo Pelé, num antigo comercial de Fosfosol (lembra?), “com a voz do povo, que é a voz de Deus”.
  • Magnésio: contribui com a contração e relaxamento dos músculos e com a produção de proteínas, além de diminuir a atividade dos radicais livres.
  • Zinco: excelente para a imunidade e para o sistema reprodutor.
  • Potássio: ajuda no controle da pressão arterial e do estresse.
  • Vitamina A: pele bonita e visão mais apurada são algumas das vantagens.
  • Vitamina B1: a tranquilinha é aliada do potássio. Diminui o estresse e a ansiedade.
  • Carotenoides: além de dar a cor amarela aos grãos do milho, ajudam a prevenir uma série de doenças e contribuem com o sistema imunológico.

Por último; o milho é uma das maiores fontes energéticas de toda a natureza. Tanto para nós, seres humanos, quanto para os animais. Se você ainda tem alguma dúvida, pense em quantas galinhas tristes; quietas; e sem energia você já viu.

Texto: Paulo Samá

Fotos: banco de imagens