Fevereiro, mês marcado pelo final de férias e início de muita folia. O carnaval é um momento
de celebração no Brasil, onde, de Norte a Sul, as cidades mobilizamse para comemorar quatro dias de muita serpentina e agitação, numa maratona de fantasias, bailes, desfiles e blocos de rua. Como não podia deixar de ser, a comida é um componente importante desse tradicional festival.

Na Região Norte, em cidades como Rio Branco e Manaus, tem-se o tradicional carnaval das escolas de samba com sucessivos desfiles de fantasias. Nessa região, a principal iguaria servida e consumida é o Tacacá. Trata-se de um caldo constituído por subprodutos da mandioca, entre os quais o tucupi e a goma, além de camarão seco, jambú (planta que amortece a língua) e diversos temperos.

Na Região Nordeste, Olinda, antiga capital de Pernambuco, comemora o carnaval à moda antiga, com foliões mascarados e bonecos gigantes nas ruas. Já em Recife, acontece o famoso bloco “Galo da Madrugada”, que segundo o Guiness Book é o maior bloco de rua do mundo, atraindo milhões de pessoas. Como reflexo da cultura carnavalesca, a gastronomia nessa época é também multicultural, com pratos típicos de diversas regiões do Nordeste, como caldinho de peixe, caranguejo (para comer com martelinho), casquinha de caranguejo, Sarapatel (picadinho de porco, cabrito ou carne), carne de sol e muitas batidas de frutas.Sem título

Em Salvador, capital da alegria e do sol, foliões seguem artistas baianos em trios elétricos pelas ruas da cidade. O que mais se consome são as comidinhas de rua, como o famoso Acarajé, que
foi registrado como patrimônio imaterial brasileiro em 2004, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e
Artístico Nacional (Iphan).

Na região central, em Goiás, Mato Grosso, costumase comer arroz de pequi ou frango com pequi, que é um fruto típico da região do cerrado, de tamanho pequeno, arredondado e cor amarelada, cujo sabor e aroma são peculiares dessa região. Vale a pena experimentar. Região Sudeste – No Rio de Janeiro existem vários bailes de carnaval e blocos que tomam conta da cidade. No entanto, o que é mais marcante são os desfiles das escolas de samba e a famosa feijoada acompanhada da caipirinha. É um prato forte e pesado, no entanto, segundo os foliões, ele é ideal para recompor as energias e continuar na folia.

Em São Paulo, como no Rio, os desfiles das escolas de samba se destacam. Além dos blocos independentes que tomam a cidade. Os foliões acabam consumindo as famosas comidinhas de rua, como espetinhos, “dogão”, pão de queijo e outros petiscos. Mas se a fome continuar, para um bom paulistano, nada melhor do que tudo acabar em pizza.

Na Região Sul, o barreado é o prato mais consumido no litoral do Paraná durante o carnaval. Pois ajuda a recuperar as forças gastas na folia. É feito com carne bovina e toucinho de porco cozidos em uma panela de barro durante 20 horas. Antes de ir ao fogo, a tampa é lacrada com pirão de farinha e água. (Para manter o vapor dentro da panela). Na hora de servir é acompanhado com banana e farinha. Uma delícia!

Texto: Priscila Urbano