uva garnacha tintorera

Não é habitual encontrar um vinho com essa variedade: A Uva Garnacha Tintorera,  conhecida internacionalmente como Alicante Bouchet.

Quando retiramos a pele da uva tinta; observamos que a polpa é de cor verde. Que carece da característica cor violeta do mosto ou vinho tinto.

Acontece que a cor da uva procede, na maioria das vezes, dos pigmentos que se encontram na pele da uva.

Porém; as variedades tintoreras têm a particularidade de possuir pigmentos de cor vermelha na polpa e na casca.

Diferentemente das outras variedades, que somente têm os pigmentos nas cascas.

Esta substancial diferença e sua consequência, uma alta intensidade colorante, as faz propícias para incrementar a intensidade da cor e, em alguns casos, modificar as características dos vinhos produzidos
com elas.

A Garnacha Tintorera é um híbrido, um cruzamento múltiplo entre variedades Vitis Vinífera, que concretamente parte de 3 variedades: Aramon, Teinturier du Cher e Garnacha (Alicante).

sociedade-da-mesa

Em meados do século XIX, Louis Bouschet, um técnico em viticultura do sul da França, buscava vinhos com mais corpo e cor, por isso decidiu cruzar uma variedade local, a Aramon – com um varietal tintorero minoritário, a Teinturier du Cher, e assim criar a Petit Bouschet.

Mas mesmo que o híbrido tivesse cor, a qualidade de seus vinhos não era o que se procurava. E não se conseguia melhorar a Aramon.

Mas a família Bouschet não se deu por vencida: seu filho Henri conseguiu um varietal qualitativo em 1866, ao cruzar a Petit Bouschet com a Garnacha, conhecida amplamente na França como Alicante, por sua origem espanhola. Daí o nome Alicante Bouschet.

Leia mais sobre nosso vinho espanhol da Seleção Mensal  Coloma Selección 2014, 100% Garnacha Tintorera.

Texto: Alberto Pedrajo

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!