Texto: Paulo Samá

branquinhaNão existe um registro muito preciso sobre o primeiro local a produzir cachaça aqui na Terra Brasilis. Uma das versões, segundo o IBRAC, Instituto Brasileiro da Cachaça. Conta que a primeira produção de cachaça brasileira de que se tem notícia é de 1516. Quando se iniciou a cultura de cana-de açúcar na Feitoria de Itamaracá, em Pernambuco. Que mais tarde se tornou a Capitania de Itamaracá. Nossa branquinha tem história, isso ninguém pode negar. Cheia de sucesso, foi proibida em 1635 por Portugal, que temia a concorrência brasileira.

Em 1660 foi novamente liberada, porém com impostos altíssimos. E provocou um levante – a Revolta da Cachaça, e em 1661 teve a proibição definitivamente revogada. Depois de carregar por um bom tempo a pecha de “bebida de pobre”, em meados dos anos 1990 surgiram as primeiras cachaçarias e cachaças artesanais, dando novo fôlego à bebida, que tem até um dia só pra ela: 13 de setembro. E pra quem é apreciador da “marvada”, a boa notícia é que dá para comemorar os 500 anos em mais duas datas. Outras duas versões creditam a origem da nossa pinga à cidade de Porto Seguro, em 1520, e 1532 em São Vicente. Mas cá entre nós, quem gosta mesmo da “cajibrina”, comemora todo dia.

Faça parte do nosso clube: vinhos selecionados por uma rede mundial de especialistas, entregues na porta de sua casa, por preços até 40% abaixo dos praticados no mercado! Associe-se!