lusitanaDe alheira a bacalhau, os segredos da cozinha lusitana residem em temperos que vão muito além do azeite. Sua culinária é considerada farta em aromas e sabores, principalmente devido à influência do lado do Mediterrâneo e de seu outro vizinho, o Oceano Atlântico. O contato com a extensa costa proporcionou aos portugueses um elaborado receituário de peixes e frutos do mar.

O bacalhau é considerado como ingrediente de honra e ocupa o cotidiano alimentar semanal lusitano. Não é à toa que os portugueses são os maiores consumidores de bacalhau do mundo, segundo a OMS. Já a sardinha, um peixe mais simples de se encontrar, fica resguardada para festas tradicionais e churrascos. Há também outras espécies de peixes bastante apreciadas pelos portugueses, como o linguado, o salmonete, o peixe-espada e o eiróz. Em relação aos pescados de água doce, podemos encontrar a lampreia, o salmão do Minho, as trutas da Serra da Estrela e da Madeira, ou então, um peixe atípico, que já se tornou extinto em muitos rios europeus, o sável, que ainda é encontrado nos rios Tejo e Douro.

Sabe-se que, além dos peixes, os portugueses são também experts em carne vermelha, sendo as mais comuns a de vaca e de cordeiro, geralmente cozidos no vinho, alho e especiarias, o que lhes confere um tempero especial, sendo bons exemplos o “Bife à Portuguesa” e as Espetadas, encontrados em todo o país.

sociedade-da-mesa

Em 1498, com a descoberta dos Caminhos das Índias, Vasco da Gama trouxe à Europa importantes especiarias, até então escondidas no Oriente. Temos como exemplos o coentro, a pimenta, o caril (também conhecido como curry), açafrão, a páprica, gengibre, canela, cravo-da-índia, noz-moscada, arroz, chás diversos e exóticos, bananas, cafés e, posteriormente, as batatas (vindas do Novo Mundo).

É importante lembrar que a maioria dos pratos portugueses começam a ser preparados a partir de um refogado de cebola e alho puxados no azeite. Possuem aroma frutado, ligeiramente espesso, cor de ouro ou amarelo esverdeado, amargo, picante ou mais adocicado, suave e intenso. É assim o azeite português, e esse (em grande quantidade) é utilizado em todos os pratos, desde sopas, peixes e frutos do mar até  receitas de diversos bolos e doces, principalmente os da região alentejana. Vale salientar que cada prato tem um vinho certo para harmonização.

A diversificada culinária portuguesa é reconhecida mundialmente. Por isso tem forte influência econômica, cultural e social sobre o próprio país. Tal fato ganhou extrema importância numa sexta-feira de 2015, na Assembleia da República. (Projeto de Resolução n.º 1453/XII). Que oficializou o “Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa”. Marcado no último domingo de maio.

Texto: Priscila Urbano

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!