sal do himalaia

Em 320 a.C., as tropas de Alexandre, o Grande, descobriram salinas em montanhas paquistanesas. Elas formaram-se há milhões de anos, onde antes era oceano. Dali vem o Sal Rosa do Himalaia, aclamado como o mais puro e saudável do mundo, e já apreciado entre os nobres da Antiguidade.

A moda de cozinhar alimentos usando blocos de sal como panelas demorou, mas chegou. A tábua de sal vai direto sobre a chama do fogão ou grelha da churrasqueira. Sobre ela, carnes vermelhas, vegetais, frutos do mar, verduras. Resfriada, recebe sushi, sashimei, saladas, sorvetes.

Além do ganho de sabor marcante, delicado e indescritível – menos invasivo que o sal tradicional –, tem a metade do sódio dele e 84 minerais que endossam seus benefícios nutricionais. Além do toque especial nos pratos, também é uma experiência estética única, pois as placas são transparentes e artesanais.
A coloração, que vai do vermelho ao rosa claro, varia em função da quantidade de ferro. O preço talvez pareça salgado (uma placa de 2 kg custa cerca de 100 reais), mas ela pode durar anos e aquecer até 300ºC.

Texto: Fábio Angelini

Conheça as vantagens de fazer parte da Sociedade da Mesa, clube de vinhos! Associe-se!