Texto: Priscila Urbano

junina
A festa junina é a segunda maior comemoração no Brasil. Ficando atrás apenas do Carnaval. É considerada uma mescla multicultural entre tradições europeias e indígenas. Durante a Idade Média, na Europa, a festa junina surge no calendário cristão para celebrar os três santos padroeiros. Santo Antonio, São João Batista e São Pedro. Que inspiram muitas rezas e simpatias, principalmente Santo Antonio, conhecido popularmente como o “Santo Casamenteiro”. 

Há quem acredite que as festas juninas surgiram para celebrar e agradecer a colheita. Por esse motivo, muitas das comidas típicas no Brasil são à base de grãos e raízes sazonais cultivadas pelos índios. como por exemplo o milho, amendoim, batata doce e mandioca. Nesse sentido, encontramos pratos como curau, pamonha, bolo de mandioca ou de milho, paçoca, pipoca, cuscuz, canjica e outros derivados.
No Brasil, a região Nordeste destaca-se nas comemorações típicas das festas juninas, com festas que tradicionalmente se estendem por muitos dias. Atraindo muitos turistas. Veja algumas das principais festas juninas do nordeste brasileiro:

Caruaru (PE) – É a maior festa junina do Nordeste, com atrações como literatura de cordel, quadrilhas, desfiles e muita música. Um prato que gera bastante confusão é o pé de moleque. Diferente daquele conhecido no Sudeste (por paulistas e cariocas), no Nordeste é uma espécie de bolo que reúne massa de mandioca, açúcar mascavo, café, leite de coco, manteiga, cravo, erva-doce e castanha de caju (ralada e inteira, para decorar). Imperdível!

• Aracaju (SE) – O forró é predominante, deixando ao vento o som da sanfona, da zabumba e do triângulo. A mandioca, o milho e seus derivados são os dois ingredientes mais presentes na festa junina dos aracajuanos.

• Bahia – A festa junina tem duração de cinco dias, similar às demais festas do Nordeste, com barraquinhas de comidinhas rurais, artefatos artesanais, muito forró e danças tradicionais. Vale a pena conferir!

• Campina Grande (PA) – Conhecida como “O Maior São João do Mundo”, Campina Grande atrai turistas de todo o Brasil e são 30 dias de muita festa. O evento conta com caminhadas, corrida de jegue, corrida dos namorados, corrida de carroças, passeio ciclístico, pau-de-sebo, cavalgada e casamento coletivo. Acompanham comidinhas típicas como baião de dois, bode guisado, macaxeira e galinha caipira, que é de dar água na boca!

• São Luiz (MA) – É o tradicional Bumba Meu Boi, em um festival marcado por danças e ritmos. Não dá para deixar de provar os tradicionais peixes fritos, a patinha de caranguejo, o arroz de cuxá e a torta de camarão.

• Caboclada (AM) – São festas de arraial que começam no décimo dia depois das novenas e nas quais estão presentes as fogueiras, o foguetório, o mastro, os banhos, muita comida como bolo podre (farinha de mandioca), mingau de mungunzá (milho branco ou canjica), mingau de banana e tacacá (caldo nutritivo geralmente servido com camarão seco e folhas de jambu – erva amazônica que causa formigamento nos lábios).

Agora você já pode escolher seu próximo destino, para provar uma dessas delícias.

 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!