Um dos banquetes mais caros da história aconteceu em uma barcaça, às margens da cidade de Tarso, atual Turquia. Ali, a então refugiada Cleópatra recebeu pela primeira vez Marco Antônio e com todas as pompas e regalias, o pano de fundo perfeito para o charme e para a inteligência superiores da rainha das rainhas

cleopatra

Para convencer Roma de que o Egito tinha tradição e riqueza imbatíveis em conquistas militares, e ganhar a aposta do triúnviro romano, Cleópatra utilizou um estratagema pra lá de dispendioso: dissolveu um de seus brincos de pérola na taça de vinagre e bebeu. Segundo o historiador Plínio, a enorme pérola teria valor equivalente a 800 quilos de ouro, ou dezenas de milhões de sestércios, a moeda da época.

A bordo, o menu ainda listava a sopa de fava ou cevada, prato nacional obrigatório. Um contraste total com o padrão refinado da última rainha da Dinastia ptolomaica e sua corte. E, de certa forma, com a própria vivacidade da cozinha faraônica: além de inventarem o foie gras e o escargot, os egípcios foram os precursores da culinária mediterrânea. Usavam óleo de oliva, queijos leves, legumes, ervas, grãos, peixes e carnes. Embora algumas carnes fossem, digamos, um pouco além do extravagante para nós: línguas de flamingos do Nilo, miolos de pavão, tromba de elefante e pés de porco.

Este último, apreciado pela soberana que, segundo dizem, não dispensava uma boa porção de alcachofras (e suas pretensas qualidades afrodisíacas). Mais vinhos gregos e cerveja, bolos de nozes e figos.
Muitos ingredientes, porém, Cleópatra preferia para alimentar a beleza, ela que foi uma das primeiras mulheres a empregar produtos com fins cosméticos. O mel, “lágrima do deus Rá”, era usado tanto no banho quanto como cera para depilação. A rainha fazia imersão em leite de cabra azedo, para hidratar, clarear e rejuvenescer a pele. Hoje, sabemos que o ácido lático faz exatamente isso.

E também sabemos que a senhora não era nenhuma miss universo: antigas moedas de bronze revelaram nariz adunco, cabelos encaracolados (possivelmente ruivos, não negros) e queixo marcante. Seu poder de atração provinha da cultura, espirituosidade e determinação que exalava, e dos hábitos sofisticados, incluindo festins fartos e ecléticos.

sociedade-da-mesa

Neles, uma comida jamais poderia faltar: pombo recheado com vegetais da estação, o xodó da rainha. Até hoje, a ave é bastante apreciada especialmente em comunidades italianas, com muitas variações de preenchimento: pão, cebola, cebolinha, salsa, alecrim, alho, queijo parmesão, ovos, carne moída, pimenta. Parece que pombo com nozes, língua, fígado e pistaches era a iguaria predileta de outra famosa liderança: Adolf Hitler.

Cativar convidados e imperadores com cenografias luxuosas e modos envolventes, conhecimentos astronômicos e rituais gastronômicos não era segredo para a rainha. O que permanece um mistério até hoje, é de que forma Cleópatra cometeu suicídio, aos 39 anos de idade, imitando seu amado Marco Antônio no mesmo dia. Não há relatos categóricos de qualquer víbora presente nos aposentos reais, só conjecturas. Foi encontrada apenas uma vasilha com figos. Pela metade.

Pombos com legumes ao vinho

pombo

INGREDIENTES
• 2 pombos (ou 1 frango de leite em substituição)
• Sal a gosto
• 6 colheres (sopa) de manteiga
• 1 cebola média, 1 cenoura e 1 talo de salsão (picados)
• 300g de carne de vitela
• 100g de cogumelos em conserva, escorridos e lavados
• 1/4 de xícara de creme de leite fresco
• 1/2 xícara de vinho branco seco
• 1/2 xícara de água
• Para decorar, folhas de agrião

MODO DE PREPARO
• Limpe e tempere os pombos (frango) com sal e reserve.
• Numa panela, coloque 2 colheres (sopa) de manteiga, a cebola, a cenoura, o salsão e a carne de vitela.
• Refogue bem por uns 15 minutos, até dourar, mexendo de vez em quando.
• Retire do fogo, junte os cogumelos e passe aos poucos pelo liquidificador, acrescentando o creme de leite.
• Recheie os pombos (frango) com essa mistura e costure.
• Aqueça a manteiga restante numa panela e junte o frango recheado.
• Frite de todos os lados.
• Quando começar a dourar, junte aos poucos o vinho e deixe evaporar.
• Junte a água, tampe a panela, abaixe o fogo e cozinhe até a carne ficar macia.
• Retire do fogo e coloque numa travessa. Sirva com os legumes cozidos ao ponto e decore com o agrião.

Texto: Fábio Angelini

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!