/Por Lina Sanches

Nada se adiciona, nada se retira. Esse é o princípio básico dos produtores de vinhos naturais, resume a sommelière Lis Cereja em seu e-book Vinhos Naturebas (disponível no site hotmart.com). A categoria reúne uma série de tipos diferentes, como orgânicos, biodinâmicos e sustentáveis, e o que os caracteriza é serem feitos com o mínimo de intervenção humana.

A publicação mais recente da empresa de pesquisa Wine Intelligence, que mapeia as oportunidades desse setor, mostra que a conscientização sobre essa categoria de vinho está em um crescente. Entre as 15 classes de naturais diferentes identificados pela pesquisa, a percepção do mercado ampliou em 13 deles.

Segundo o relatório, o aumento vem na esteira da tendência global de saúde, bem-estar e preocupação com o impacto do consumo no meio ambiente – e os apreciadores de vinho buscam cada vez mais a certificação de práticas éticas.

Percepção de mercado

Pensar e produzir esse tipo de produto, no entanto, nem sempre foram vistos com bons olhos. Uma das pioneiras que acreditaram no setor foi a própria Lis Cereja, à frente da Feira Naturebas, referência na área na América Latina, e da Enoteca Saint VinSaint (ambas em São Paulo). “A gente ficou por muito tempo sozinha porque ninguém queria apostar nesse mercado, que achava que era de moda, de uma galera hippie. Hoje, 12 anos depois, todo mundo viu que não é uma questão de tendência”, conta.

A feira começou em 2013 com 20 produtores e 100 visitantes. A última edição reuniu 2 mil pessoas e cerca de 100 viticultores, mais de 30 brasileiros entre eles. Na primeira, o número de expositores nacionais não chegava a cinco ou seis. Neste ano, o Rio Grande do Sul mostrou ser o estado que vem em peso: 20 deles eram da região.

Para o sommelier Bruno Bertoli, o movimento não é maior apenas entre as importadoras e os produtores brasileiros, mas também em um interesse do público geral. “Eu revejo clientes para quem introduzi o vinho natural que sequer tinham muita curiosidade por vinho e, hoje, eles se interessam, vão às feiras, buscam conhecer mais”, afirma Bertoli, que também é proprietário do paulistano Beverino, um bar de vinhos apenas com rótulos naturais, orgânicos e biodinâmicos.

Esses processos de vinicultura, além de mais sustentáveis, dão diferença no sabor dos vinhos? O sommelier afirma que sim. “A gente consegue perceber melhor as escolhas do produtor, e isso me traz uma sensação maior de bem-estar.” Além disso, o processo de fabricação exige uma capacidade técnica mais afinada do enólogo.

Gancho bem-estar

Uma forma prosaica e curiosa de sentir a diferença é a ressaca no dia seguinte, menos agressiva do que as de vinhos convencionais. Como aponta a pesquisa da Wine Intelligence, os especialistas na área percebem o crescimento do setor como reflexo de pessoas mais preocupadas em saber os processos por trás dos alimentos que consomem.

O vinho não está descolado da tendência mundial de saúde, da relação atenta com a comida e com quem a produz. “Estamos vivendo um aumento de consciência, de prezar pelo natural e pelo que é saudável. De ver que os recursos naturais da Terra são finitos, e nossa saúde também”, conclui Lis Cereja.

O bê-á-bá do natureba

O passo a passo de vinificação de cada tipo de vinho*.

Orgânicos

O cultivo orgânico não é só com a isenção de agrotóxicos. O sistema prevê uma série de regras: a não utilização de transgênicos, adubos sintéticos ou pesticidas químicos; o bem-estar do meio social; a promoção da biodiversidade; e a fertilidade do solo.

Biodinâmicos

O termo se refere aos conceitos desenvolvidos pelo croata Rudolf Steiner, criador da pedagogia Waldorf, que integra o equilíbrio dos reinos animal, vegetal e mineral. Além do cultivo orgânico, a plantação obedece ao calendário lunar.

Naturais

Feitos de uvas de agricultura orgânica ou biodinâmica, passam também por vinificação natural. Ou seja: uma produção com o mínimo de intervenção na elaboração e com leveduras da própria fruta. Há uma gama de termos para se referir a eles: vinho puro, vinho com baixas intervenções, vinho autêntico etc.

Sustentáveis

De agricultura que evita o uso de produtos sintéticos e químicos, na qual se preza a sustentabilidade de todo o ambiente – o que inclui o bem-estar dos trabalhadores.

*Fontes: Livros Vinhos Naturebas, de Lis Cereja, e As Novas Regras do Vinho, de Jon Bonné.