/Por Lucas Vilela

Alguns nomes famosos não são associados facilmente ao universo da vitivinicultura. No entanto, desde o fim do século passado, virou hábito ver vários rótulos chegarem ao mercado com a assinatura de estrelas dos palcos.

Do pop ao rock, sem distinção de gênero, alguns músicos começaram a investir nos próprios vinhedos, enquanto outros se uniram a vinícolas já bem estabelecidas para criar verdadeiros hits degustáveis. Aqui, alguns nomes que já merecem sua audiência.

Bon Jovi

O mercado de alimentos e bebidas não é novidade na vida dele: o restaurante JBJ Soul Kitchen, em Nova Jersey (EUA), é um ponto turístico na cidade. Agora, o ramo de vinhos nasceu de uma parceria do músico com o filho Jesse Bongiovi e o enólogo francês Gérard Bertrand.

O rótulo do rosé (25 dólares a garrafa) batizado de Hampton Water foi tão bem aceito que, em 2018, ficou no Top 100 da Wine Spectator. A inspiração veio diretamente das vinícolas da Bertrand, no sul da França, região onde a bebida é produzida.

Sting

O cantor mantém desde 1999, ao lado de sua esposa, Trudie Styler, uma propriedade de 350 hectares conhecida como Il Palagio, na região de Florença (Itália). Eles restauraram o local, que cultiva, desde o século 18, mel, azeite, azeitonas e seus vinhos com nomes sugestivos, como When We Dance (16,30 dólares a garrafa) e Sister Moon (53 dólares a garrafa), nomes de músicas do vocalista. O consultor de produção biodinâmica dos EUA Alan York e o enólogo Paolo Caciorgna foram os responsáveis por amadurecer o vinho local. O resultado é talento puro.

Pink

A paixão por um Châteauneuf-du-Pape experimentado em uma de suas andanças fez Alecia Moore, mais conhecida por Pink, entrar no ramo dos vinhos. Detalhe: ela manteve segredo sobre esse romance com as rolhas até este ano. Desde 2013, a cantora mergulhou no assunto, pegou um diploma do reputado Wine & Spirit Education Trust (WSET) e comprou uma vinícola no vale de Santa Ynez, na Califórnia (EUA).

Em 2019, o rótulo Two Wolves ganhou os holofotes com três opções: cabernet sauvignon, cabernet franc e petit verdot – os preços variam de 60 dólares a 90 dólares. Com o sucesso instantâneo, as garrafas se esgotaram rapidamente. Mas a promessa é de safra nova em breve.

Dave Matthews

A Dave Matthews Band invadiu a MTV nos anos 1990 e, desde então, é um símbolo do rock contemporâneo. Há um tempo juntou-se ao enólogo Sean McKenzie para lançar a Dreaming Tree nas vinhas de Blenheim (Charlottesville, cidade nos EUA). Atualmente, a lojinha da vinícola conta com safras de 2017 e 2018, para todos os paladares: pinot noir, sauvignon blanc, chardonnay… O favorito do cantor é o cabernet sauvignon, com notas de eucalipto e groselha. A curiosidade: qualquer rótulo custa 15 dólares a garrafa.

John Legend

Como bom amante de vinho, em 2015 o cantor realizou o sonho de lançar a marca Legend Vineyard Exclusives (LVE), numa colaboração com o renomado enólogo de Napa Valley Jean-Charles Boisset. A marca começou sua jornada com cinco vinhos, incluindo um Napa Cabernet (50 dólares).

Para 2019, a novidade é o badalado Carneros Chardonnay (45 dólares), rico em aromas de pera, jasmim e cardamomo, além do paladar, com manteiga caramelizada e amêndoas torradas. Para deixar qualquer um com vontade de pegar uma taça.