/Por Tânia Nogueira

Por que o chardonnay de Chablis é tão diferente de todos os outros chardonnays do mundo? Mesmo da França ou da própria Borgonha? Por causa do seu solo.

A AOC (Apelação de Origem Controlada) Chablis, que só produz vinhos brancos, faz parte da AOC Borgonha, é uma sub-apelação. Mas, geograficamente, está um pouco afastada das outras sub-regiões. Mais ao norte, próximo a Champagne. Sua personalidade tampouco é próxima da dos brancos borgonheses.

O chardonnay de Chablis é seco até a alma. Tem uma acidez marcante. E seu perfil aromático está muito mais para o mineral do que para o frutado. É considerado um grande acompanhamento para ostras. Como elas, ele tem algo que lembra mar.

Mas Chablis está a quilômetros de distância do mar e não sofre influência nem do mediterrâneo, nem do Atlântico. A mineralidade que lembra conchas do mar vem do solo argilo calcário que está repleto de fósseis marinhos.

No período kimmeridgiano, há mais de 150 milhões anos, a região, assim como o sul de Champagne e o leste do Loire, estava coberta pelo mar. Todas as regiões onde há esse tipo de solo fazem vinhos excepcionais. 

Experimente

Baudouin Millet Chablis 2018 – Sem passagem por madeira, o vinho é bastante seco e fresco. Passa 10 meses sobre as borras finas. Custa R$ 350 (R$ 303, para sócios), na Sociedade da Mesa.