/Por Tânia Nogueira

Por muito tempo, a sauvignon blanc pareceu não ser a uva branca brasileira. Viam-se poucos rótulos e a maioria deles pouco expressivos. Na Serra Gaúcha, a região vitivinícola mais tradicional do Brasil, a área plantada de sauvignon blanc sempre foi relativamente pequena.

No mais recente Cadastro Vitícola da Embrapa Uva e Vinho de 2013 a 2015, podemos ver que, no município de Bento Gonçalves, por exemplo, enquanto eram produzidas 705,49 toneladas da uva trebbiano, 694,01 toneladas da chardonnay e 527,69 toneladas da riesling itálico, produziram-se apenas 21,09 toneladas da sauvignon blanc.

Essa varietal, cuja origem mais provável é o Vale do Loire, na França, no entanto, parece estar se dando bem em regiões mais novas como Campanha Gaúcha, Santa Catarina e, agora, o Sudeste do país.

A sauvignon blanc é a branca, por excelência, dos vinhos do Sudeste. “A sauvignon blanc e a syrah foram as uvas que mais se adaptaram à dupla poda no início dos estudos do doutor Murilo Regina, da EPAMIG de Caldas, Minas Gerais, em 2003”, conta Marcio Verrone, proprietário da Casa Verrone, em Itobi, município próximo a São José do Rio Pardo, em São Paulo.

Verrone se refere ao sistema de podas desenvolvido por Regina, que garante a colheita no inverno quando é mais seco, em vez de no verão. A chuva na época da colheita, além de propiciar o desenvolvimento de doenças, dificulta a concentração de aromas e polifenóis. “Agora, com o tempo, outras castas também estão sendo analisadas e adicionadas a essa prática.”

Mas fato é que a sauvignon blanc se deu muito bem no Sudeste e tem rendido exemplares com toda a tipicidade da casta, que costuma ter aromas que vão dos herbáceos, como os de grama cortada ou de ervas aromáticas, aos de frutas tropicais, como maracujá e abacaxi, passando pelos cítricos. Rende vinhos bastante frescos, com ótima acidez. Os de São Paulo e Minas Gerais têm se mostrado muito elegantes.

Experimente

Casa Verrone Sauvignon Blanc 2019, de Itobi, São Paulo – Custa R$ 61, no site da Casa Verrone.

Maria Maria Sauvignon Blanc (há várias safras no mercado), de Duas Pontas, Minas Gerais – Custa R$ 159, na Casa Santa Luzia.

Guaspari Vale da Pedra Branco 2018, 100% sauvignon blanc, de Espírito Santo do Pinhal, São Paulo – Custa R$ 86, no e-commerce da Vinícola Guaspari.