/Por Ana Beatriz Miranda

O vinho tinto é o tipo mais popular entre os apreciadores dessa bebida singular ao redor do planeta. Ele possui variados estilos, agradando aos mais diversos gostos, desde os mais leves — perfeito para quem está começando no mundo do vinho — aos mais encorpados e complexos — para quem já tem um paladar mais experiente.

Como o vinho tinto é feito

Todos os vinhos são resultado da fermentação alcoólica das uvas, por microrganismos do gênero Saccharomyces, chamados de leveduras. As cores características dos tintos, que são púrpura, violeta, vermelho-rubi, granada e tijolo, vêm das cascas das uvas e variam de acordo com a casta e a maturidade da bebida.

Após a colheita das uvas, ocorre o desengace, processo no qual as uvas são separadas dos galhos e folhas. Então, é a hora da maceração, uma das partes cruciais na elaboração dos tintos. Nessa etapa, o líquido absorve os componentes das cascas das uvas, taninos e antocianinas, e cabe ao enólogo decidir o tempo de contato, de acordo com o estilo de vinho que ele quer produzir. 

Em seguida, começa a fermentação alcoólica, geralmente em tanques de aço inoxidável com temperatura controlada. As leveduras consomem o açúcar do mosto, liberando álcool, calor e gás carbônico. Alguns produtores fazer a fermentação malolática, depois da alcoólica, a fim de diminuir  acidez da bebida. 

Aí acontece a clarificação, que retira sedimentos do vinho, e o processo de amadurecimento, se houver, que pode ser em tanques de aço inox, barricas de carvalho ou dentro das próprias garrafas. Caso o vinho seja um blend, a mistura pode acontecer antes ou depois do amadurecimento.

Estilo

De forma geral, o estilo do vinho tinto é definido por seu corpo. O corpo nada mais é do que o peso e a estrutura do vinho sentidos no paladar. Ele é resultado das características da bebida, qual uva foi utilizada, quantidade de taninos, teor alcoólico, se passou ou não por amadurecimento, por exemplo.   

Os tintos podem ser leves — caráter mais frutado e menos tânico, de médio corpo ou encorpados — mais potentes e estruturados. Todos podem ou não serem amadurecidos em barricas de carvalho. 

Harmonização

Para harmonizar vinho tinto com comida, é imprescindível que você avalie o peso dos dois. É preciso tomar cuidado para que um não se sobreponha ao outro, trazendo uma sensação desagradável. 

Quanto mais encorpado for o vinho tinto, melhor ele combinará com comidas potentes e gordurosas. A receita é simples em sabores? Então, é melhor optar por um vinho mais frutado e jovem, descomplicado. Se o prato for muito elaborado, com várias camadas de sabores, aí é mais interessante escolher um tinto tão complexo quanto. 

Temperatura de serviço do vinho tinto

Assim como para qualquer tipo de vinho, a temperatura de serviço é essencial para uma experiência positiva. Temperaturas muito altas fazem com que o álcool apareça mais, enquanto as muito baixas fazem com que os taninos prevaleçam. 

Cada estilo de vinho tinto pede uma faixa de temperatura específica. Para os tintos leves, as temperaturas ideais são de 12 a 14°C, para os de médio corpo, de 14 a 16°C e, para os encorpados, de 16 a 18°C. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!