/Por Tânia Nogueira

Mendoza é seguramente uma das regiões vinícolas mais bonitas do mundo com seus vinhedos aos pés dos Andes. É também uma das mais extensas, com condições bastante diversas entre si. A altitude dos vinhedos, por exemplo, varia de 430 metros a 2000 metros. Só isso garante uma boa variação dentro do clima continental da região, que fica bastante afastada do Atlântico e tem os Andes a separando do Pacífico. A cadeia de montanhas é também responsável pela água do degelo que garante a agricultura numa região bastante seca. 

Há solos de todos os tipos. E os produtores, cada vez mais, estão querendo explorar essa diversidade. Cada vez mais eles buscam pelos vinhos de terroir. Então, é bom o consumidor que estava acostumado a dizer “adoro malbec de Mendoza” começar a aprender sobre as diferentes sub-regiões para saber identificar as suas preferências e acertar na hora da compra.

Sub-regiões de Mendoza

Com uma área cultivada de quase 150 mil hectares, Mendoza é a principal região vinícola da Argentina, respondendo por 75% dos vinhedos do país.  A malbecs é uva mais plantadas,  representando  40% das tintas. Entre as brancas, é a chardonnay. Mas a região produz também várias outras uvas tintas como bonarda, cabernet sauvignon, syrah e tempranillo. E também brancas, como torrontés, chenin blanc e sauvignon blanc. Ela se divide nas seguintes sub-regiões:

Primeira Zona

Por ela, passa o rio Mendoza. É a zona mais tradicional, ao sul da cidade de Mendoza. Fica nos departamentos de Maipú e Luján de Cuyo. Essas duas sub-regiões dividem se subdividem ainda em micro-regiões: em Maipú, temos, por exemplo, Lunlunta, Las Barrancas e Cruz de Piedra.

Nomes que não soam tão populares para o consumidor, talvez porque em Maipú a ênfase no terroir ainda não seja tão grande. Em Luján de Cuyo, as pequenas regiões já são mais famosas. Você já ter ouvido (ou lido num rótulo) os nomes de Las Compuertas, Vistalba, Perdriel e Agrelo. 

As altitudes variam entre 650 metros e 1.060 metros. Os solos são considerados ideais para o cultivo de uva: pedregosos, pobres em matéria orgânica e ricos em calcário. Por isso, muitos dos vinhos da Primeira Zona estão entre os melhores de Mendoza, especialmente os de Luján de Cuyo que, desde 1990, leva uma denominação de origem controlada (DOC).

Boa parte dos malbecs mais famosos vem dessa região. A Primeira Zona tem 881 vinícolas, o que representa 405 das vinícolas argentinas. Algumas delas bastante famosas, como Catena Zapata, Luigi Bosca, Norton, Pulenta Estate, Terrazas de Los Andes e Zuccardi.

Vale de Uco

Aqui estão os vinhedos mais altos de Mendoza. Alguns chegam a 1.700 m de altitude. Inclui os departamentos de Tupungato, Tunuyán e San Carlos. que incluem, entre outras, as microrregiões de Vista Flores, La Consulta, Altamira e Gualtallary.

Os solos são pobres e pedregosos com boa drenagem. O clima é ameno, com grande amplitude térmica. Tanto brancos quanto tintos costumam ter ótima qualidade e boa capacidade de guarda. Entre as vinícolas presentes no Vale de Uco, estão Clos de Los Siete, Finca Sophenia, O. Fournier, Rutini, Salentein e Terrazas de Los Andes.

Norte

É uma das regiões de menor altitude, variando entre 600 metros e 700 metros acima do nível do mar. Geograficamente, está dividida entre os departamentos de  Lavalle, Maipú, Guaymallén, Las Heras e San Martín. Predominam os solos arenosos. O foco é na produção em escala de vinhos mais baratos.

Leste

Também focada na produção de vinhos mais populares, tem altitudes entre 640 metros e 750 metro. O clima é um pouco mais quente e a região tende a produzir vinhos com fruta bastante madura. Mas há uma variedade de climas e solos e algumas boas bodegas, como a Zuccardi. Abrange os departamentos de  San Martín, Rivadavia, Junín, Santa Rosa e La Paz. .

Sul

Embora suas altitudes sejam as mais baixas de Mendoza (entre 450 metros e 800 metros), o fato de estar mais ao sul, já se aproximando da Patagônia, refresca o clima e faz dessa região um bom terroir para vinhos brancos. Por aqui, o chenin blanc tem tido muito sucesso. Seus vinhedos se dividem entre os departamentos de San Rafael e General Alvear. Entre as vinícolas de maior destaque, estão a Bodegas Bianchi e a Alfredo Roca.  

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!