/Por Ana Beatriz Miranda

Com presença cada vez mais frequente nas taças dos enófilos brasileiros, os vinhos elaborados com a uva Primitivo são realmente encantadores. O sucesso por aqui é devido ao caráter levemente adocicado dessa variedade, que gera vinhos potentes, alcoólicos e com sabores vivos. 

Embora não seja um consenso a origem da Primitivo, é fato que ela se tornou emblemática no sul da Itália, na região de Puglia, onde ela brilha intensamente. Uma curiosidade dessa uva é que ela tem o mesmo código genético da Zinfandel, estrela da Califórnia, nos Estados Unidos, que origina rótulos também bastante apreciados no Brasil.  

Primitivo da Puglia

Cheia de intensidade, a Primitivo da Puglia dá origem a vinhos poderosos, mas que são redondos, densos, frutados e fáceis de agradar. É mais comum encontrar tintos de safras mais recentes elaborados com ela, mas também há rosés sensacionais.

Zinfandel da Califórnia

A Zinfandel não é a uva mais cultivada dos Estados Unidos, mas certamente é uma das mais destacadas do país. Com seu perfil aromático forte que traz frutas maduras e notas de especiarias, o Zinfandel norte-americano é versátil e muito saboroso. Quando vinificada sem contato com as cascas, essa variedade gera um vinho rosé muito popular, o White Zinfandel.  

Harmonização de Primitivo e Zinfandel

Tanto vinhos elaborados com a Primitivo quanto os de Zinfandel combinam perfeitamente com carnes vermelhas assadas ou grelhadas. Se você não sabe que rótulo levar para um churrasco, pode ir com um deles que é uma harmonização certeira. Eles também harmonizam com pizzas variadas, principalmente as mais robustas,como uma portuguesa, além de queijos amarelos, como parmesão, provolone e suíço.