/Por Ana Beatriz Miranda

Historicamente associado a celebrações, o espumante é realmente um tipo de vinho festivo. Muito dessa característica vem de suas borbulhas encantadoras, chamadas tecnicamente de perlage, provenientes do gás carbônico contido na bebida. Existem vários tipos de espumantes, de acordo com suas denominações de origem e métodos de elaboração, e também quanto à quantidade de açúcar residual. Um dos mais procurados é o espumante brut.

A classificação de quantidade de açúcar varia de país para país. Cada legislação determina seus próprios padrões. Segundo a legislação brasileira, os espumantes são classificados — da menor para maior quantidade de açúcar — em nature, extra-brut, brut, seco, demi-sec e doce

Espumante brut ou seco?

Embora não seja tão comum encontrarmos um espumante seco, a nossa lei o contempla. A diferença entre o espumante brut e o seco é bem pequena, sobretudo no paladar, sendo o brut muito mais comercializado. O espumante brut permite de 8 a 15 gramas de açúcar por litro da bebida, enquanto o seco admite 15 a 20 gramas de açúcar por litro.   

Método de elaboração do espumante

O espumante é feito a partir de duas fermentações alcoólicas do mosto, o sumo das uvas. Os vinhos tranquilos, sem a presença de gás carbônico, e os frisantes — que possuem uma pequena quantidade de perlage — passam por apenas uma fermentação. A segunda fermentação dos espumantes pode ser feita dentro das próprias garrafas. Esse é o método Champenoise ou Tradicional, dos champanhes e dos cavas.

Ou eles podem fermentar pela segunda vez em tanques de aço inoxidável, segundo o método Charmat, dos proseccos e da maioria dos demais espumantes. O terceiro método de elaboração dos espumantes é o Asti, que consiste em uma variação do Charmat, com apenas uma fermentação, muito usado no espumante moscatel. 

A classificação da doçura do espumante é uma escolha do enólogo. Durante a vinificação, é adicionado o licor de expedição, uma mistura de compostos variados, incluindo o próprio vinho, ou outra bebida alcoólica como conhaque ou brandy, e açúcar, que será determinante para a quantidade de açúcar residual e, consequentemente, como o espumante será classificado. Cada vinícola tem sua receita de licor de expedição, que costuma ser mantida em segredo. 

É assim que são feitos os maravilhosos espumantes, entre os quais o espumante brut tem grande destaque. Por não ter paladar adocicado, ele é muito versátil, inclusive para harmonizar. Por isso, costumam ser escolha certa para eventos em geral. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!