“Branco francês de uma região especialista em brancos, e não é Chablis!”

Lucas Cordeiro

Por causa de tamanha diversidade, os vinhos podem, sim, serem fontes de aprendizado. A França, por exemplo, pode ser explorada muito além do que as regiões mais renomadas.

Explico! 

Vamos pensar na região Sud-Ouest, que é bastante extensa territorialmente. Quem a conhece minimamente, já remete às famosas denominações, principalmente as de tintos, como Cahors, Madiran ou Bergerac. Mas a região abriga também denominações pouco conhecidas por aqui, como a I.G.P. Côtes de Gascogne.

Você já deve ter apreciado algum vinho desta indicação geográfica, mas provavelmente não sabia que ela é especialista em vinhos brancos. Sim, 80% de todo vinho produzido lá é branco.

O território da I.G.P. (Indicação Geográfica Protegida) cobre basicamente a mesma área de produção que a do brandy francês Armagnac (primo do famoso Cognac) e, desta forma, usa as duas uvas brancas mais importantes autorizadas para a produção do Armagnac, a Ugni Blanc e a Colombard.

E o nosso Cuvée Jean-Paul Gascogne 2016 é exatamente um blend destas duas cepas, com 75% Colombard e 25% Ugni Blanc.

Vinho Branco Cuvée Jean Paul 2016_Sociedade da Mesa

Fora a especialização em vinhos brancos, essa I.G.P. não tem nada a ver com a famosa Chablis. Dela, nascem vinhos mais acessíveis, muito leves, altamente refrescantes e com perfil frutado, tendendo especialmente às frutas cítricas, tal como percebemos neste rótulo.

Ele é ideal para acompanhar caldos, como um creme de palmito ou de abobrinha, e também para pratos com peixes e frutos do mar.

Então, eis aqui a oportunidade para você conhecer um exemplar da I.G.P. Côtes de Gascogne. Um branco para consumir em qualquer época do ano, versátil e saboroso, e que está com uma oferta imperdível

CLIQUE AQUI para comprar e ver mais detalhes sobre ele na ficha técnica.