“Sobre a uva Barbera e um delicioso cassoulet” 

Lucas Cordeiro

Há uns 10 anos, fui convidado para participar de um desafio no restaurante Le Casserole, um tradicional bistrô francês no Largo do Arouche, centro de São Paulo.

Para o almoço, cada sommelier convidado deveria levar um vinho que harmonizasse com o famoso cassoulet da casa – uma receita clássica da região de Languedoc-Roussillon, na França, feita com feijão branco, carne de aves e embutidos. 

Confesso que a melhor harmonização daquele dia não foi com o vinho que levei, mas sim com um rótulo de Barbera D’Asti, amadurecido em carvalho.

E não era de se estranhar:

  • ele tinha a estrutura necessária para o peso do prato;
  • taninos presentes e finos,
  • perfeitos para equilibrar com as carnes;
  • e uma excelente acidez que reduziu a untuosidade da receita.

A riqueza aromática da bebida também se equiparou com o perfume da comida.

Esta boa lembrança me trouxe até o vinho que quero compartilhar com você hoje.

O Il Cascinone Crocera Barbera d’Asti Superiore 2015.   

É elaborado pela esplêndida vinícola Tenuta Il Cascinone, com uvas de um pequeno vinhedo de 6 hectares, no município de Acqui Terme, na região do Piemonte – uma das áreas mais prósperas para a produção de Barbera d’Asti. 

Ele tem o mesmo perfil do vinho italiano que, naquele dia, combinou perfeitamente com a iguaria francesa.

E se enquadra na tipologia “Superiore”, cujos vinhos devem obrigatoriamente amadurecer em carvalho.

Neste caso, a bebida passou por 12 meses em barris de carvalho francês (15% deles eram novos).

Estruturado e fresco, intenso tanto nos sabores quanto nos aromas. Hoje, tenho certeza que ele daria um show ao lado daquele cassoulet.

Mas o vinho é versátil, e certamente harmoniza com diversas receitas, como também vai fácil na companhia de queijos e pães.

Vale muito a pena para dias de outono!

Se você se animar mesmo, também pode reproduzir a harmonização e conferir a performance do vinho. Clique AQUI para acessar a receita do cassoulet do La Casserole. 

Só não se esqueça de me contar como foi a experiência.

Abraços!