“Tinto espanhol de Rioja com várias avaliações acima de 90 pontos” 

Lucas Cordeiro – Sommelier

Há muitos anos atrás um amigo me confidenciava:

“Lucas, eu já degustei vinhos avaliados pelos mais famosos críticos do mundo, mas quem de fato dá recomendações que acertam o meu paladar é o Saul Galvão.”

Para quem nunca ouviu falar dele, Saul Galvão foi um conceituado jornalista e crítico de gastronomia a vinhos do grupo Estadão.

Na época eu trabalhava em um grande loja de vinhos, onde choviam apreciadores buscando os exemplares bem avaliados por ele.

Era influente, mas nem de longe tinha o alcance mundial de Robert Parker ou da Jancis Robinson.

Realmente acho que é por aí.

Afinal, Qual é o crítico de vinhos mais importante?

Aquele que se torna legítimo quando de fato as avaliações dele fazem sentido para você.

Quantas vezes já degustei vinhos com avaliações/pontuações altíssimas por parte desse ou daquele crítico e não encontrei a razão para tanto.

É por isso que defendo que cada um construa sua história com o vinho, aprenda a entender a degustar com clareza, e faça antes de tudo suas próprias avaliações sobre o valor e a qualidade daquilo que bebe.

Mas algo deve ser dito.

Nunca bebi um vinho realmente ruim que tivesse sido bem avaliado por um crítico.

Todos eram bons.

Eu podia nem sempre concordar com a nota, a avaliação atribuída, mas o vinho não era ruim, não mesmo.

Então, geralmente quando vários críticos avaliam bem um rótulo é certeza que você vai beber bem se escolher degusta-lo.

Este é exatamente o caso do Marqués de Cáceres Generacíon MC 2016, tudo está à favor dele.

GENERACION MC 2016_Revista Sociedade da Mesa

É originário de Rioja, na Espanha, uma das regiões produtoras de vinhos mais tradicionais e importantes daquele país, chamada inclusive de “a Bordeaux espanhola”.

Quem o elabora é a Marqués de Cáceres, uma vinícola icônica e histórica da região.

Foi produzido com uvas de vinhas velhas (de 65 a 90 anos com baixos rendimentos naturais), da safra de 2016, considerada excelente por diversas autoridades do vinho.

É considerado um vinho de autor, que reflete as escolhas cuidadosas dos processos pelo enólogo, durante sua produção, a começar pela seleção dos vinhedos.

Isso tudo converteu-se em um tinto nobre, exibindo a grandeza da uva Tempranillo, com aromas complexos que mesclam bem as frutas e o carvalho, com uma magnífica estrutura em boca, acidez agradável e final intenso, largo e expressivo.

Portanto não é difícil entender que tenha recebido um enxurrada de boas avaliações. Só para citar três:

  • 94 pontos do Tim Atkim,
  • 92 pontos do Antônio Galloni,
  • 91 pontos do James Suckling.

Saúde, e boa degustação!