“Um Pinot Noir da Framingham Wines, eleita a vinícola neozelandesa do ano”.

Lucas Cordeiro – Sommelier

Sobre a Nova Zelândia

A Nova Zelândia é reconhecida mundialmente pelas paisagens naturais deslumbrantes, tanto que serviu de locação para as gravações da trilogia cinematográfica “O Senhor dos Anéis”.

Mas um experiente amante de vinhos sabe que não é de hoje que o país despontou para o mercado internacional: ali é um importante polo da viniviticultura.

A fama chegou com os brancos incríveis, capitaneados pela uva sauvignon blanc.

Mas a chancela de qualidade veio com os tintos refinadíssimos, principalmente os de uvas que se adaptam melhor aos climas mais frescos, como a pinot noir.

Sobre o Vinho Ribbonwood Marlborough Pinot Noir 2016

O nosso Ribbonwood Marlborough Pinot Noir 2016 vem justamente desse país distante, e é um exemplo de como a pinot noir pode nos surpreender:

  • resultou em um vinho  mais refinado
  • marcante,
  • amadurecido em carvalho – ele estagiou 8 meses em barris de carvalho francês, 10% novos.

Quando falamos em pinot noir é difícil não pensar na pátria desta uva, a Borgonha (França), e fazer um comparativo é inevitável.

Se há alguma semelhança de estilo, temos que pensar mais ao sul, na Côte Chalonnaise, talvez em Givry, pois este exemplar neozelandês tem um perfil de aromas que remete a:

  • notas terrosas,
  • cogumelos,
  • folhas secas,
  • frutas frescas como cerejas,
  • e leves notas de especiarias e defumado.

O paladar é leve e muito fresco, tal como se pode esperar de um vinho desta uva.

Sua qualidade também se deve ao fato de que não é elaborado por uma vinícola qualquer.

É obra da Framingham Wines, eleita a “Vinícola Neozelandesa do Ano”, em 2018 e 2019, pelo site The Real Review, do Master of Wine Bob Campbell, e que pertence a nada menos que o renomado grupo português Sogrape.

Agora que você já tem uma ideia do que o Ribbonwood Marlborough Pinot Noir 2016 tem a oferecer, preparamos uma bela oportunidade para você degustar este excelente exemplar.

Veja nossa oferta.