/Por Ana Beatriz Miranda

Valpolicella é mais um dos grandes nomes italianos relacionados ao vinho. Além de nomear uma região demarcada, também se refere ao vários estilos de bebidas lá elaboradas. Sob a denominação Valpolicella são produzidos tintos mais cotidianos, passando por rótulos icônicos, como os Amarones della Valpolicella, até vinhos doces. São quatro tipos elaborados com as mesmas uvas, mas com perfis bastante peculiares.  

Colinas por trás de Verona

A região de Valpolicella é composta por colinas próximas à cidade de Verona, no Vêneto, no norte do país da bota. Ela se tornou uma denominação de origem controlada em 1968. E DOCG especificamente para o Recioto e o Amarone, em 2009. Com clima frio e ventos que vêm dos Alpes Italianos, a elaboração natural de vinhos encorpados não é favorecida. As uvas típicas da região, Corvina, Rondinella e Molinara, também não contribuem para os exemplares mais estruturados. 

Sendo assim, os produtores compensaram esses desafios com técnicas diferentes de vinificação, a fim de dar mais potência aos vinhos. Assim foram criados o Valpolicella Classico, o Recioto, o Amarone e o Ripasso. São detalhes no método de elaboração que diferem uns dos outros. 

Tipos de Valpolicella

Valpolicella Classico

O mais simples entre os quatro, o Valpolicella Classico é um tinto frutado, leve e bom para ser consumido no dia a dia. Ele é elaborado como os outros vinhos tintos secos, através da fermentação do mosto das uvas. Como são exemplares geralmente com acidez perceptível, eles ficam mais saborosos quando harmonizados.

Recioto

O Recioto é um vinho doce, conhecido como vinho de sobremesa. Ele é o primeiro a passar pelo processo de appassimento (foto acima). Depois de colhidas, as uvas ficam por um período de 3 a 6 meses secando, perdendo água e concentrando açúcar. Após esse tempo, as castas perdem 35% do seu peso e se tornam quase passas. Só aí elas passam pela fermentação para serem vinificadas. No caso do Recioto, a fermentação é interrompida antes de terminar, para que haja um açúcar residual na bebida, garantindo um incrível sabor adocicado. 

Amarone

Na caso do prestigiado Amarone, ele é elaborado de forma bastante similar ao Recioto, porém, a fermentação acontece até o fim. O resultado é um vinho seco, com alto teor alcoólico, concentrado, aveludado e elegante.  

Ripasso

Os vinhos Ripassos são chamados de Amarones babies, já que utilizam as cascas da produção do Amarone em seu processo de elaboração. É um Valpolicella com toque de Amarone, que traz mais cor, densidade e tanino. Eles são uma alternativa mais acessível aos caros Amarones e têm mais presença que os Valpolicellas Classicos. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!