/Por Carolina Almeida

A pandemia de covid-19 causou, além do isolamento social, uma drástica redução na rotina de atividades físicas de muitas pessoas – e, para alguns, isso acarretou o acúmulo de uns quilinhos na silhueta. Se você se identificou, aqui está uma boa notícia: pesquisadores do Reino Unido relacionaram o consumo moderado de vinho a índices de massa corporal (IMC) mais baixos do que em pessoas que evitam álcool ou consomem cerveja e bebidas destiladas.

Publicado no periódico International Journal of Environmental Research and Public Health, o estudo analisou os hábitos alimentares e IMC de mais de 280 mil pessoas, com idade entre 40 e 69 anos, durante quatro anos. Os participantes foram divididos em cinco grupos, de acordo com a quantidade e o tipo de bebida que preferiam. Aqueles que consumiam vinho em doses moderadas (cerca de 14 taças por semana) foram os que apresentaram menor índice de massa corporal.

Fatores determinantes

Os pesquisadores britânicos têm várias teorias sobre a descoberta: o vinho
pode afetar o equilíbrio energético das pessoas, aumentar a sensibilidade à insulina e reduzir o armazenamento de gordura corporal ou alterar o metabolismo do corpo e ajudar na queima de calorias. É possível, também, que fatores como hábitos de vida e renda tenham papel nessa equação.
Estudos anteriores mostraram que consumidores moderados de vinho estão em faixas econômicas mais elevadas. Vamos comemorar com uma taça?

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!