Uma das mais grandiosas da história de Don Melchor, com condições de vindima praticamente ideais, a safra 2018 conquistou a mais perfeita pontuação que um vinho pode receber: 100 pontos conferidos pelo crítico norte-americano James Suckling, um marco para o setor vitivinícola chileno.

Com a obtenção deste marco histórico, Don Melchor consolida sua posição como um dos grandes Cabernet Sauvignon de alta gama no mundo“Sem dúvida, a qualidade excepcional do Don Melchor não seria possível sem o terroir de Puente Alto, seu vinhedo, solo e clima, que nos permitem produzir um vinho único em cada safra”, explica Enrique Tirado, enólogo e diretor técnico da Viña Don Melchor.

A expressão da fruta e a qualidade das texturas obtidas no vinhedo, com presença marcada de frutas vermelhas –  expressão clara de um Cabernet Sauvignon de Puente Alto, aliás – , taninos suaves e elegantes, resultam em um vinho de grande elegância e densidade, com diferentes camadas de aromas e sabores, além de um nariz prolongado e persistente. 

“Isto é alucinante. A vitalidade e a energia neste vinho são deslumbrantes. A complexidade dos aromas é impressionante, com flores, cassis, framboesa e pêssego. Corpo amplo, ainda que muito refinado e polido, com uma beleza e textura impecável. A permanência é maravilhosa. Este é um testemunho do equilíbrio, da harmonia e da transparência em um grande tinto”, James Suckling. 

Esta pontuação máxima posiciona o terroir de Puente Alto entre os melhores do mundo, um lugar com condições únicas, capaz de mostrar ao mundo o potencial que o Chile tem para produzir grandes vinhos, e a origem que vem impulsionando há mais de 30 anos a viticultura e enologia de alta qualidade no país.

O trabalho rigoroso por trás da elaboração do Don Melchor se infunde na obsessão da equipe enológica e agrícola por compreender cada detalhe do vinhedo, estudando minuciosamente seus solos, entendendo a expressão do terroir e respeitando a essência do vinhedo em cada processo do vinho. 

 “A perseverança na busca pela melhor expressão e qualidade nos permitiu obter na safra 2018 o que chamamos de safra perfeita. Os vinhos são muito expressivos, com a maturação exata, resgatando toda a expressão da fruta do Cabernet Sauvignon e do Cabernet Franc”, afirma o enólogo.