/Por Ana Beatriz Miranda

Uma das dúvidas que podem surgir em enófilos iniciantes é como gelar vinho tinto. Será que pode colocar na geladeira? No freezer? Ou é melhor gelar apenas na adega refrigerada? O fato é que existem temperaturas adequadas para cada tipo de vinho. E nem é mais um ritual da bebida, não. É algo imprescindível para um exemplar apresentar todo seu potencial. Assim ele preserva suas características principais, como acidez e corpo. Vinhos brancos, rosés e espumantes devem ser servidos mais gelados, de 6ºC e 10ºC. Enquanto os tintos suportam temperaturas mais altas, até 18ºC, para os encorpados.

Se estiver gelado demais, não será possível sentir os aromas e sabores do vinho, que ficam mascarados. Os taninos dos tintos ficam mais marcados e a bebida mais amarga. Quando servidos em temperaturas acima da recomendada, os vinhos ficam com o álcool destacado, por exemplo, trazendo uma sensação desagradável ao paladar.     

Você pode se perguntar sobre servir vinhos à temperatura ambiente. Vai dar certo fazer isso no Brasil? Dificilmente. A não ser no sul do país, no inverno. Na Europa essa prática é comum por causa do clima, é claro. Com temperaturas médias baixas, o Velho Continente permite o serviço da bebida sem resfriar. Mas no nosso calor tropical de quase o ano inteiro não faz sentido não gelar o vinho.   

Como gelar vinho tinto, então? Se você tiver uma adega refrigerada e com temperaturas controladas fica fácil servi-los corretamente. Se você não tiver, pode sim colocar a garrafa na geladeira, mas apenas 25 minutos antes de servir. A maioria dos refrigeradores consegue baixar dois graus a cada 10 minutos. Outra dica é lançar mão do balde com gelo. Aqui o esquema é bem rápido. Em apenas dois minutos, o vinho tinto já atinge a temperatura correta de serviço. Colocar no freezer não é uma boa ideia porque é mais difícil controlar a temperatura. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!