/Por Marjorie Zoppei

Peru, tender, pernil, farofa… o menu da ceia de Natal se repete todos os anos e, ainda assim, há quem erre na hora de fazer o casamento entre a comida e o vinho. Melhor dizendo: os vinhos. Sim, no plural, pois cada receita requer um estilo diferente da bebida.

O peru, por exemplo, pede um branco com um toque de madeira. Já o pernil entra em harmonia perfeita com uma bebida que corta a sensação de gordura da boca, como os vinhos com uma dose acentuada de acidez. Até as sobremesas, como o panetone e a rabanada, pedem líquidos distintos. Veja como não errar!

Peru ou chester

Pode fazer par com frutas. Ideal para brancos secos com passagem por barricas.

Pernil, tender ou lombo

Tem sabor suave, mas pode ser gorduroso. Aposte em espumante, rosé ou tinto leve.

Arroz com passas

Polêmico, o sabor agridoce pede um tinto frutado, de boa acidez.

Patês e antepastos

Entradas com espumantes e rosés são excelentes.

Nozes e castanhas

Pode seguir o vinho dos petiscos, mas melhor que um Jerez não há.

Farofa e legumes grelhados

A harmonização é feita a partir da proteína escolhida.

Salpicão

À base de frango, legumes e creme de leite, case com merlot, syrah ou chardonnay.

Panetone

Se for recheado com frutas cristalizadas, vá de vinho doce moscatel; se for com chocolate, aposte no vinho do Porto.

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!