/Por Ana Beatriz Miranda

Sauternes é mais uma região que também nomeia o vinho produzido por lá. Localizada no sudoeste da França, ela é uma pequena comuna do departamento de Gironda, cuja capital é Bordeaux. O vinho Sauternes é nada menos que um dos mais caros, poderosos e famosos exemplares do mundo. É um vinho branco doce, feito a partir de uvas botritizadas.

Como é feito o vinho Sauternes

As uvas são atacadas naturalmente por um fungo, o Botrytis cinerea, devido ao microclima da região. A variação de umidade faz com que ele se prolifere e ataque as frutas. O desenvolvimento fúngico faz com que as cascas fiquem porosas, amolecidas e, assim, as polpas perdem água, tornando-se enrugadas e muito ricas em açúcares.

Além de provocar a desidratação das uvas e a concentração do dulçor, a ação do Botrytis cinerea faz com que as uvas adquiram aromas de mel e caramelo. O nível de ácido málico também aumenta consideravelmente, garantindo que a percepção da doçura seja delicada no paladar. Esse processo é chamado de podridão nobre, por originar vinhos de excelência, realmente preciosos. 

As principais uvas utilizadas na produção são Sémillon, a mais usada, Muscadelle e Sauvignon Blanc. Elas são vinificadas separadamente e a fermentação dura até quatro semanas, parando espontaneamente quando as leveduras produzem álcool suficientemente para inativar o processo fermentativo.   

A região de Sauternes

Sauternes foi contemplada na classificação de 1855, assim como os vinhos de Médoc. Os exemplares foram divididos em duas categorias e 27 propriedades foram classificadas, sendo 11 Premier Crus, 15 Deuxième Crus e uma Premier Cru Supèrieur, o célebre Château d’Yquem, a mais alta classificação.

O nascimento do Sauternes

Mas como será que o vinho Sauternes surgiu? Como os produtores notaram que o ataque do fungo poderia ser benéfico? Há duas histórias sobre isso. A primeira delas diz que o dono do Château La Tour Blanche resolveu esperar que as chuvas do outono terminassem para iniciar a colheita das uvas, em 1836. O sol apareceu, os cachos foram atacados pelo Botrytis e ele resolveu usar as uvas assim mesmo. A segunda conta que o marquês de Lur-Saluces, dono do Château d’Yquem, se atrasou no retorno de uma viagem e, como queria supervisionar a colheita, mandou que o esperassem. Então as uvas amadureceram demais e se tornaram botritizadas. 

Degustar um Sauternes é uma experiência que todo apaixonado por vinho deveria ter. É uma bebida encantadora, uma joia líquida, com sua coloração dourada, aromas e sabores peculiares, doçura equilibrada pela acidez, textura elegantes e uma capacidade de envelhecimento extraordinária. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!