/Por Ana Beatriz Miranda

Vinho de sobremesa é aquele que possui dulçor no paladar, podendo ser tinto, branco, rosé, frisante e espumante. Ele é perfeito para ser apreciado sozinho, mas também para acompanhar pratos doces, como seu nome indica, com sobremesas.

Embora haja certo preconceito contra vinhos adocicados, por falta de conhecimento na maioria das vezes, eles estão entre os mais nobres e caros do mundo. O francês Sauternes e o húngaro Tokaji são os principais exemplos.

Vinho doce e vinho de sobremesa são sinônimos?

Muita gente confunde vinho de sobremesa com vinho suave ou doce. Para esclarecer de vez a confusão entre os termos, pense que vinho suave ou doce se refere à classificação de açúcar da bebida, assim como vinho seco, vinho meio seco, vinho licoroso ou fortificado.

Já o de sobremesa é simplesmente adocicado, seja do tipo que for. Sim, os vinhos doces também são vinhos de sobremesa, mas nem todo vinho de sobremesa é classificado como vinho doce, vai depender da concentração de açúcar residual no líquido. 

Como o vinho de sobremesa é feito?

Existem vários métodos para a elaboração do vinho de sobremesa. O dulçor perceptível também pode ser da própria uva, como a Moscatel, que tem alto índice de açúcar. A fortificação, usada no vinho do Porto e no Madeira, é uma das técnicas.

Nela, é acrescentada no mosto aguardente vínica, no início do processo de fermentação. Assim, a fermentação é interrompida e o vinho fica com alta concentração de açúcar. 

Os vinhos de colheita tardia, chamados de late harvest, são feitos a partir de uvas que são colhidas depois do amadurecimento normal. Elas sofrem desidratação e concentram mais dulçor.

Na Itália, usa-se bastante a técnica de passificação na elaboração de vinhos de sobremesa. As uvas são colhidas quando maduras e ficam em esteiras ao sol para perderem água. 

No método da botritização, a podridão nobre, as uvas são atacadas pelo fungo Botrytis cinerea, que as desidratam, concentrando os açúcares.

Em países muito frios, como Canadá e Alemanha, as uvas congelam nas videiras e, dessa forma, a água das frutas congela. Logo, com o esmagamento das uvas congeladas, o açúcar se apresenta mais potente, resultando nos Ice Wines.  

Harmonização com vinho de sobremesa

Se uma bela sobremesa já enche nossa boca de água normalmente, quando harmonizada com um vinho de sobremesa a experiência é ainda mais espetacular.

Para combiná-los, é necessário se atentar ao corpo da bebida e a consistência da sobremesa, que devem ser proporcionais.

Os pratos mais leves pedem vinhos de sobremesa mais sutis, enquanto os mais robustos e gordurosos combinam melhor com rótulos de igual intensidade.

Quanto ao dulçor, o vinho precisa ser mais doce que a receita para que a sobremesa não mascare os aromas e os sabores da bebida. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!