/Por Ana Beatriz Miranda

O Vêneto é uma região do norte da Itália, produtora de alguns dos mais celebrados vinhos do país, como o espumante Prosecco, o branco Soave e os tintos Amarone e Valpolicella. Terra de belezas naturais diversas, o Vêneto se divide em sete províncias, Belluno, Pádua, Treviso, Veneza, Verona e Vicenza, e é a área mais visitada da Itália. 

Veneza é a capital do Vêneto, conhecida por seus canais, fonte de inspiração para muitos tipos de arte. Aliás, a região é uma das mais ricas do país da bota em termos artísticos, culturais, gastronômicos e históricos. Quando o assunto é vinho, existem 38 demarcações vitivinícolas no Vêneto, entre Denominações de Origem Controlada (DOC), Denominações de Origem Controlada e Garantida (DOCG) e Indicação Geográfica Típica (IGT)

Principais vinhos do Vêneto

Prosecco

A denominação do Prosecco começou a ser demarcada em 1930, mas a DOC oficial só foi criada em 1969. Em 2009, a certificação foi atualizada, com o nome da uva prosecco se tornando glera e uma sub-região recebendo o prestígio de Denominação de Origem Controlada e Garantida, Conegliano Valdobbiadene. Lá são elaborados os proseccos mais nobres da região. 

Amarone 

O Amarone della Valpolicella é talvez o mais célebre vinho do Vêneto. Elaborado a partir da técnica de appassimento, em que as uvas quase passificam antes de serem esmagadas, esse vinho tem aromas e sabores peculiares. Ele amadurece por pelo menos 25 meses em barricas de carvalho, tem alto teor alcoólico e paladar levemente adocicado. Um dos grandes ícones do mundo do vinho. 

Bardolino

O Bardolino é um vinho elaborado na região homônima, com as mesmas uvas do Valpolicella e do Amarone, mas com diferentes proporções. Outras castas também são permitidas pela DOC. São bebidas mais frutadas e leves, descomplicadas e para serem apreciadas mais jovens.  

Valpolicella

O Valpolicella Classico é outro vinho feito na região de Valpolicella. Como o Amarone e os demais rótulos elaborados lá, ele é composto pelas uvas Corvina, Rondinella e Molinara. Esse tinto é leve, frutado e perfeito para o consumo do dia a dia. Como um bom italiano, tem acidez marcante, o que o faz um excelente acompanhante para comida. 

Soave 

Soave é um dos vinhos brancos mais consumidos da Itália, elaborado na região homônima. Ao contrário do que o nome possa indicar, não é uma bebida adocicada, mas sim seca, elegante e exuberante. O nome é uma referência aos Suevos, povo bárbaro que viveu na região no século 5. A uva Garganega é a principal utilizada, embora a Trebbiano di Soave também seja bastante comum. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!